Foto Ben do Rosário

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Diogo Oliveira

Barítono

Nascido em Lisboa em 1979, Diogo Oliveira, barítono, é licenciado em Engenharia da Linguagem e do Conhecimento pelas Faculdades de Ciências e de Letras da Universidade de Lisboa.

Frequenta o curso de Canto da Escola de Música do Conservatório Nacional (EMCN) na classe de José Carlos Xavier.

Realizou concertos no Salão Nobre do Teatro Nacional de São Carlos (TNSC), Auditório Luísa Todi (Setúbal), Salão Nobre da EMCN, Museu da Música, Palácio Foz, Palácio Galveias, Auditório Fnac e CCB, entre outros.

Participou nas “Master Classes” de canto e interpretação de Sarah Walker (2002) e Low Siew-Tuan(2004). Estreou-se no papel de Marullo (Rigoletto), no Teatro Camões (2002), dirigida por Manuel Ivo Cruz.

Diogo Oliveira interpretou Papagueno (“Die Zauberflöte”), com encenação de Jorge Listopad, no Teatro da Trindade, no Centro Cultural de Cascais e nas Quintas da Regaleira e da Bacalhoa. Participou na peça de Wassily Kandinski (“A Noite e O Som Amarelo”) com música original e direcção de Bruno Soeiro, no Pequeno Auditório do CCB. Interpretou várias personagens em “O Gabinete do Doutor Caligari” (Teatro da Trindade), o Conde de Fricandó (“As Damas Trocadas”), sob a direcção de Armando Vidal em Setúbal, Montano (“Otello”), sob a direcção de Antonio Pirolli e Fiorello (“Il Barbiere di Siviglia”), sob a direcção de Jonathan Webb ambos no TNSC. Participou como solista no espectáculo “Uma Cantata Portuguesa” com música de Pedro Faria Gomes, realizado no Grande Auditório da Culturgest. Participou no Festival de l’Agglo de Rouen onde realizou vários concertos, entre os quais o Concerto final no Zénith de l’Agglo. Em 2005 foi vencedor do primeiro prémio na 6ª edição do Concurso Nacional de Canto Luísa Todi.

Desde Dezembro de 2003 desempenha o papel de Fantasma na produção alemã da opereta “O Fantasma da Ópera” em digressão por toda a Alemanha e com a qual actuou em mais de 100 salas de espectáculo e recintos ao ar livre, de entre as quais se destacam as Stadt Halle de Hannover, Limburgo, Hamburgo, Dusseldorf e Colónia, a Sala dos Mestres Cantores em Nurnberg e Filarmónica de Munique.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook