Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Diogo Novo Carvalho

Composição

Diogo Novo Carvalho trabalhou composição com os professores Filipe Vieira, Dimitris Andrikopoulos e Fernando Lapa; e música electrónica com os professores Carlos Guedes, Gustavo Costa, Rui Dias e Filipe Lopes.

Participou em vários workshops: de composição com Amílcar Vasques Dias, Magnus Lindberg, Kaija Saariaho, Emmanuel Nunes, Pascal Dusapin e participou no 16th International Summer Symposium of Composition and Multi Percussion, na República Checa, onde trabalhou com Ivo Medek, Jeff Beer e Tomas Ondrusek; em classes de aperfeiçoamento de piano com os professores Álvaro Teixeira Lopes, Jaime Mota, Miguel Borges Coelho e Rodolfo Rubino.

Em setembro de 2008, a sua obra Letifico Innocens foi premiada com a medalha de Ouro no VI Concurso de Composição de Volos (Grécia) e o 1º prémio no Festival Internacional InterArtia 2008, na categoria de composição para orquestra sinfónica.

Em dezembro desse mesmo ano foi eleito “Artist of the Year 2008” pela International Art Society of Greece. Em 2009, Twelve Gardens nº 1, 2 e 3, foram estreadas no Festival de Outono da Universidade de Aveiro, pela pianista Nancy Lee Harper.

2011 viu nascer as obras: Ondas de Memória selecionada para leitura do Remix Ensemble Casa da Música, dirigida por Peter Rundel e Sunyata selecionada para leitura da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, dirigida por Iker Sanchez. Nesse mesmo ano foi finalista do International Music Prize for Excellence in Composition 2011, com a obra Rudá, para soprano e ensemble. Em 2012 foi finalista do Musica Domani Prize 2012, com a obra In Dialogue, para flauta amplificada.

Em 2013, por encomenda do Prémio Jovens Músicos 2013 Antena 2/RTP, compôs a peça obrigatória de nível superior para contrabaixo Inside Out. Em 2015, a sua obra Gestos obteve o 2º Prémio no III Concurso Nacional de Composição BSP.

Em 2013 terminou o mestrado em Composição e Teoria Musical na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (Porto), sob a orientação de Eugénio Amorim, obtendo 19 valores na dissertação sobre o tema A Estrutura Cíclica como Estratégia Temporal no Processo Composicional.

Atualmente leciona composição Escola de Música de Perosinho, Academia de Música de Arouca e no Centro Cultural de Amarante – Maria Amélia Laranjeira, e classe de conjunto na Escola de Música Óscar da Silva.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook