Bruno Martins

Direção

Bruno Martins nasceu a 10 de janeiro de 1988, na Branca (Albergaria-a-Velha). É maestro titular e diretor artístico-pedagógico da Associação Escola de Música da Quinta do Picado e diretor artístico da Orquestra Nacional Juvenil e Coro Nacional de Jovens.

Bruno Martins iniciou os estudos no Conservatório de Música da JOBRA. Como tenor conquistou o primeiro prémio na VII edição do Concurso Santa Cecília.

Licenciado em canto na Universidade de Aveiro na classe de António Salgado, sempre se dedicou a três grandes áreas musicais: canto, correpetição e Direção de Coro e Orquestra. Em 2014 concluiu a Pós-Graduação em Ópera e Estudos Músico-Teatrais na ESMAE / IPP – Escola Superior de Música e Artes sob a orientação do Maestro António Saiote.

Como maestro, trabalhou também com os maestros Adriano Martinolli D’Arcy, Edgar Saramago, Jean-Sébastien Béreau, Jorge Matta, Mário Mateus, Walter Kobéra, Vasco Negreiros, Ajtony Csaba, Gyorgy Klementyev e Ernst Schelle.

Lecionou no Conservatório de Música de Ourém e Fátima, no Conservatório Regional de Castelo Branco, Academia de Música do Fundão e Conservatório de Música S. José da Guarda.

Entre 2014 a 2015 foi maestro convidado da Orquestra Clássica do Centro e membro da Direção Artística da Associação.

Colaborou em projetos desenvolvidos pela ESMAE/IPP, onde dirigiu Mahagonny e Die Sieben Todsünden de K. Weill, Die Zauberflöte de W.A. Mozart, L’Enfant et les Sortilèges e L’Heure Espagnole de Maurice Ravel. Dirigiu ainda estreias de obras como Auto da India (ópera em 4 atos composta por Leonor Abrunheiro, José Tiago Baptista, Jorge Portela e Bruno Ferreira), Go Spectral de João Pedro Coimbra, Esteio ​​de Manuel Brásio, Contradanças Folclóricas de José Tiago Baptista.

Em março de 2017 Bruno Martins estreou a sua obra Libera me Domine e colaborou na composição de duas obras para o livro Era uma vez… (pequenas peças para piano), editado pela AvA Musical Editions e pela Academia de Música e Dança do Fundão. No mesmo ano foi convidado como diretor artístico e maestro do XII Festival de Música da Beira Interior promovido pela SCUTVIAS S.A. No último concerto deste festival Bruno Martins dirigiu a Orquestra e o Coro Sinfónico da Beira Interior onde estreou a obra Monsanto composta por Luís Cipriano.

Em maio de 2018, a convite do Maestro António Vassalo Lourenço, estreou a obra Gloria in excelsis Deo, do ciclo Três peças sacras para coro misto com o Coro do Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro.

Foi aceite no programa de Erasmus+ Trainning no Conservatorio Superior de Música de Castilla y León (COSCYL – Salamanca), como professor assistente do maestro Javier Castro Villamor e da maestrina Blanca Anabitarte, acumulando a função de preparador vocal do Coro de Projetos do mesmo Conservatório.

Em dezembro de 2018 fundou o Momentum Chorale Ensemble e atualmente é aluno do Mestrado em Direção de Orquestra da Universidade de Aveiro, sob a orientação do maestro António Vassalo Lourenço e do maestro Ernst Schelle tendo já dirigido a Orquestra de Cordas do Departamento de Comunicação e Arte e a Orquestra Filarmonia das Beiras.

Atualmente Bruno é maestro titular da Banda da Quinta do Picado, director artístico da Orquestra Nacional Juvenil e maestro da Camerata Santa Joana, ensemble residente em Aveiro.

[ Bio publicada na Meloteca a 13 de janeiro de 2020 ]