Armando Machado, viola, Lisboa

Armando Machado

Viola . Fado

Armando Machado, violista, nasceu em 1899, em Lisboa, onde veio a falecer em 1974.

Começou a tocar viola nos solares e nas festas em Lisboa e arredores. Em 1924 profissionalizou-se, tendo tocado praticamente em todos os recintos da época onde houvesse Fado.

Em 1937, fundou a Adega Machado no Bairro Alto, que foi a segunda casa do género no bairro, mas a primeira a dar espectáculos diários.

Foi autor de vários temas musicais para fado, tais como, Fado Súplica, Fado Cunha e Silva, Fado Licas, Fado Maria Rita, Fado Lourdes e o célebre Bolero Cigano da Fronteira.

Conheceu e casou-se com uma linda moça, Maria de Lourdes, de profissão enfermeira, natural de Lisboa, onde nasceu em 1915, na freguesia do Socorro, tendo falecido também em Lisboa em 1999.

Maria de Lourdes Machado e Armando Machado, tiveram 5 filhos, 4 rapazes e uma rapariga, o Armando José (Licas) que era afilhado do Gonçalves dono de “O Ginjal”, a Maria Rita, era afilhada de Amália Rodrigues, o Filipe teve como padrinho Filipe Nogueira (pai) e o Carlos Manuel foi apadrinhado por Adelina Ramos e seu marido, o António Tomaz Machado, (o Tricas para a família e amigos) era afilhado do artista plástico Tomaz de Melo (TOM) e também de Amália.

Maria de Lourdes Machado abandonou a sua carreira de enfermeira para cuidar dos filhos e ficou também ao lado do marido na gerência da Adega Machado, tendo começado a cantar fado, logo com grande sucesso, pois tinha uma bonita voz, presença e cantava muito bem.

Quando o seu filho mais velho o Armando José (apelidado carinhosamente como Licas), foi mobilizado para o Ultramar, Maria de Lourdes pediu a João Linhares Barbosa, que lhe escrevesse um poema que exprimisse a sua dor de mãe, que teve o título de (Fé e Coragem Meu Filho). O pai Armando Machado escreveu a música já referida, Fado Licas.

[ Músicos de Lisboa ]

Partilhe
Share on Facebook
Facebook