António Monteiro

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

António Monteiro

Construção de guitarras

António José Monteiro é um construtor de instrumentos musicais, violino, guitarra portuguesa e bandolim.

De facto, desafios e exigências caracterizam onze anos de atividade de um construtor de instrumentos musicais que procurou aconselhamento na qualidade de executor musical e o (agora) saudoso amigo Bruno Martins, construtor de guitarras em S. Félix da Marinha e também com dom de executante, lançou-lhe o repto para que construísse uma guitarra portuguesa para nela dedilhar e dela soar aquilo que propunha como composição.

E assim moldou a sua primeira guitarra portuguesa. Um desafio que António Monteiro, então marceneiro, encarou com perplexidade e determinação, mais perplexo ainda pela sua primeira obra, resultante de mais determinação nas peças que se têm seguido desde então com motivação crescente e exigência ilimitada. O perfeccionismo irrompe da sua personalidade, sem prejuízo da noção da capacidade e da humildade de quem apenas em pouco mais de uma década dá vida e alma a figuras vistosas de onde brotam melodiosamente sons afinados e cativantes.

E é em Grijó, no concelho de Gaia onde reside com a esposa e filha, que António José Monteiro constrói instrumentos musicais onze anos depois da primeira guitarra portuguesa e numa sucessão de desafios e exigências. E assim também o seu primeiro bandolim por sugestão de um dirigente de uma coletividade musical. Foi então que na azáfama das solicitações para reparações de instrumentos de diversa índole (também guitarras clássicas e violas de fado), eis chegado o desafio para a construção de um violino.

António José Monteiro, um autodidata em busca da perfeição, construindo violinos, guitarras portuguesas, a família dos bandolins e outros instrumentos, todos com a flor de lis embutida, como marca personalizada.

E até a figura da flor de lis tem de ser perfeita! “Fui escuteiro durante 28 anos e esta é uma das razões pela qual a flor de lis é a marca dos meus instrumentos, porque a flor de lis é o símbolo mundial do escutismo e tem um grande significado para mim.”

Filho de agricultores (o quarto de seis rebentos), António José Monteiro também gosta de ténis e de ler (por exemplo, Mia Couto e Camilo Castelo Branco).

Nascido a 17 de outubro de 1964, em Travanca (Cinfães), vive em Grijó desde 1969, onde os progenitores “tentaram uma vida melhor”, mas face às “dificuldades da vida” encetou atividade de marceneiro aquando da primeira dúzia de anos da vida que ainda tinha um dom para revelar: o de construtor de instrumentos musicais.

“Respeito o luthier do mais renomado ao mais modesto, mas prefiro a denominação de construtor de instrumentos musicais, com os desafios de quem acredita em mim e as exigências de qualidade que eu próprio imponho e certifico com a flor de lis.”

Partilhe
Share on Facebook
Facebook