Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Angélica Neto

Soprano

Angélica Neto estudou no Conservatório de Música do Porto.

Trabalhou com Rudolf Knoll nos Cursos de Música da Cidade do Porto. Foi galardoada no Concurso Internacional de Canto no Festival Teeside em Inglaterra.

É desde 1987 elemento efectivo do coro do Teatro Nacional de São Carlos (TNSC) tendo participado como solista em várias obras executadas por aquela instituição. Assim, no seio das produções de ópera do TNSC, foi solista nas “Bodas de Figaro” e “Idomeneo”, de Mozart; na “Suor Angelica” de Pucinni e na “Borghesina” de Augusto Machado.

No concerto de Páscoa da temporada de 1998 do TNSC, solou na “Via crucis” de Franz Liszt e no “Dextera Dominum” de Cesar Franck. Fez parte do elenco de solistas da “Petite Messe Solennelle” de Rossini, dirigida pelo maestro João Paulo Santos, numa produção do TNSC. Foi soprano solista no “Oratório de Natal” de Camille Saint-Saëns nos Concertos de Natal produzidos pelo TNSC em Dezembro de 1999, na igreja do Loreto em Lisboa, conjuntamente com o Coro do TNSC e a Orquestra Sinfónica Portuguesa, sob a direcção de João Paulo Santos. Foi Anina na última produção da Traviata no TNSC (2002), tendo colhido o cumprimento da crítica. Solou recentemente e ainda no quadro do TNSC “Cinq Rechants” de Olivier Messiaen. Foi solista na peça de Nuno Corte-Real, “Sentimento de um Ocidental” para soprano, piano, violino e actor, apresentada em Setembro de 1998 nos encontros ACARTE.

Sendo a dedicatária da obra “Magnificat em Talha Dourada” de Eurico Carrapatoso, estreou-a como soprano solista na igreja de S. Roque em Outubro de 1998 por ocasião das comemorações dos 500 anos da Sª Casa da Misericórdia, no Festival de Música de S. Roque de 1998. Interpretou mais duas vezes esta mesma obra, uma na igreja matriz de Monsaraz (10.07.2000) integrada no festival Monsaraz, museu aberto e outra na igreja matriz de S. Pedro em Palmela (5.08.2000) num concerto integrado no 20º Festival dos Capuchos. Estreou no CCB em Outubro de 1999, a convite do compositor Luís Bragança Gil e da escritora Luísa Costa Gomes, a parte de soprano solista da obra “Libentíssimo”.

Estreou já em 2002 e também no CCB, o “Libentíssimo II” daqueles autores. Foi soprano solista na obra “Horto sereníssimo” de Eurico Carrapatoso, encomenda do III Festival de Música de Caldas da Rainha “Concertos de Primavera”, para soprano, cravo, flauta doce e quarteto vocal, estreada na abertura daquele evento em 21.08.2001 na Igreja de Nossa Senhora do Pópulo. Ainda deste compositor, solou em 5 de Outubro de 2002 a estreia absoluta de “Motetes para um tempo de Paixão”, num concerto integrado no I Ciclo de Música Sacra de Viana do Castelo; estreou seguidamente a parte de soprano solo da cantata profana “O lobo Diogo e o mosquito Valentim”, em 20 de Dezembro de 2002, no Teatro Nacional de São João, no concerto de Natal da Orquestra Nacional do Porto, sob a direcção de João Paulo Santos.

Em 20-12-2003 foi a soprano solista no concerto de Natal da Orquestra Nacional do Porto, um concerto monográfico inteiramente preenchido com obras de Eurico Carrapatoso, e deste mesmo autor, foi Isabel, a personagem principal da ópera “A Floresta”, estreada em 28.02.2004 no Teatro de São Luiz, com a Orquestra Sinfónica Portuguesa, sob a direcção de João Paulo Santos. Cantou esta mesma ópera em Aveiro e Viseu em Maio de 2004, acompanhada pela Orquestra Filarmonia das Beiras, sob a direcção de António Lourenço, e ainda na reposição do espectáculo no São Luiz em Dezembro de 2004, na ficha técnica original, num cômputo final de duas dezenas de récitas.

06 Janeiro 2005