Foto José Frade

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Ana Sofia Varela

Fado

Ana Sofia Varela nasceu em Lisboa em 1977, mas cresceu no Alentejo, mais exactamente em Serpa onde viveu até há alguns anos, antes de regressar à sua cidade de origem.

O contacto com o fado ocorreu através dos discos de Amália, que ouviu pela primeira vez aos 10 anos. Mais tarde começou a cantá-los em diversas Noites de Fado em Serpa – na Casa do Povo, escolas e colectividades. Estes eventos começaram a acontecer com alguma frequência e foi com os fadistas locais que começou a interiorizar este género musical.

Por outro lado, o seu empenho e contacto com a música tradicional alentejana são uma constante desde a infância, assistindo às Marchas de Serpa e encantando-se com o acompanhamento ao vivo da banda tradicional local. A partir daí, actuou em diversos bares do sul do país, cantando um repertório composto por fados de Amália e Nuno da Câmara Pereira bem como músicas de Rui Veloso, Vitorino e Resistência, entre outros.

Participou em diversos concursos de fado locais e nacionais, sendo finalista no programa da RTP “Selecção Nacional”, bem como no Festival da Canção em 95, tendo sido considerada “a voz mais bonita e interessante” dessa edição. O convite para cantar em casas de fado em Lisboa surgiu em 97 pela mão de Carlos Zel.

Entretanto iniciou a colaboração com o guitarrista Mário Pacheco, com quem realizou diversos espectáculos (Macau, Japão, Itália etc.) e que a convidou, mais tarde, para integrar o elenco fixo do Clube de Fado.

Outro dos projectos importantes foi a participação no CD A Guitarra e Outras Mulheres de António Chainho, a par de nomes como Marta Dias, Teresa Salgueiro e Filipa Pais, e que originou uma tournée europeia.

De salientar são também as actuações ao lado de grandes fadistas como Argentina Santos, Maria da Nazaré, Alcindo de Carvalho, Beatriz da Conceição ou Camané, que contribuíram para o seu crescimento dentro do fado bem como para a sua forma de o interpretar. A propósito da Expo’98, integra o elenco do De Sol a Lua – Flamenco e Fado – um espectáculo que pisou palcos em Espanha, Alemanha, Holanda, Suíça…

Em 1999, aceita o convite de João Braga para a participação em diversos espectáculos que culminaram com a edição do CD Cem Anos de Fado que incluía ainda Carlos Zel, António Pinto Basto e Maria Ana Bobone.

Em 2001, a par da gravação do seu primeiro trabalho, realizou diversos concertos em Portugal e no estrangeiro, destacando-se os realizados no Festival das Músicas e dos Portos, no Casino do Estoril, na Festa do Avante e na Casa de Portugal em São Paulo. A edição de Ana Sofia Varela marca o início de uma nova etapa: o (re)conhecimento pelo grande público de “um fado há muito esperado…”

Após a edição do primeiro trabalho discográfico, Ana Sofia Varela realizou diversas apresentações e espectáculos em Portugal, Itália e outros locais. Para além disso, e já em 2003, abraçou um projecto de homenagem a Carlos Paredes – gravou um tema com letra de José Luís Peixoto e música de Fredo Mergner que faz parte de um CD editado pela Associação “Movimentos Perpétuos” com o intuito de divulgar a obra do grande impulsionador da guitarra portuguesa.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook