Ana Mafalda Castro, cravista

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Ana Mafalda Castro

Cravo

Ana Mafalda Castro, professora e coordenadora do Curso de Música Antiga na ESMAE (Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto) e na Academia de Música Antiga de Lisboa, nasceu no Porto onde completou os seus estudos de piano. Entre 1983 e 1990, como bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian e da Secretaria de Estado da Cultura, estudou cravo na Holanda com Glen Wilson, Jacques Ogg e Bob Van Asperen, participando em cursos de aperfeiçoamento com os cravistas Ketil Haugsand, Robert Wooley e Annelie de Mann.

Ana Mafalda Castro, mantém uma intensa actividade artística quer a solo quer como acompanhadora tendo tocado, entre outros, com Anner Bylsma, Andrew Manze, Marie Leonhardt e Ketil Haugsand nos mais importantes festivais do País e em Espanha, França, Irlanda e Suécia. Dirige a Orquestra de Música Antiga da ESMAE e dirigiu recentemente a OSP (Orquestra Sinfónica Portuguesa) num concerto onde foi também solista. Colaboradora regular das Orquestras Portuguesas, participou, entre outras, nas óperas Rinaldo de Haendel, Orfeu de Gluck, Venus e Adonis de John Blow, “O Boticário” de Haydn e “Amor Industrioso” de João de Sousa Carvalho (estas últimas projectos do Estúdio de Ópera da Casa da Música do Porto), como cravista e correpetidora.

Integrada no projecto Itinerâncias do IPAE 8 Instrumentos, 8 Músicas, tocou em várias cidades do País tanto a solo como em conjuntos de câmara, destacando-se o Grupo de Música Antiga Foral do qual faz parte e é co-fundadora. Em Outubro de 2002, estreou “Il ritorno”, obra composta para si por António Pinho Vargas, uma encomenda do VI Festival Internacional de Música de Mafra, tendo sido muito bem aceite pela crítica. Em 2003, participou na Folles Journées em Nantes e na Musica-Musika em Bilbao num programa a solo e na Festa da Música em Lisboa, em várias formações, destacando-se os concertos com o pianista Pedro Burmester. Recentemente tocou no México no Festival Internacional de Música Antiga de SanLuis Potosi, na Casa da Música/Porto, CCB e mais uma vez nas Folles Journées de Nantes e Bilbao.

Fundou e dirige o grupo “Udite Amanti”, especialmente dedicado a reportório de mulheres compositoras, que logo na sua estreia no VII Festival Internacional de Mafra foi muito bem acolhido pela crítica.

Gravou dois CD’s, um, a solo, Música portuguesa para tecla dos séculos XVI e XVII (EMI-Classics, com o apoio da Comissão dos Descobrimentos) e outro com a violoncelista Irene Lima e o contrabaixista Manuel Póvoa (Numérica), que mereceram excelente acolhimento da crítica. Tem projectado para este ano a gravação de Sonatas de Carlos Seixas para a editora Portugaler. Fez ainda várias gravações para a Rádio e Televisão, destacando-se a sua participação em Estocolmo na homenagem a José Saramago aquando da entrega do Prémio Nobel da Literatura em 1998.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook