Álvaro Cassuto, maestro e compositor

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Álvaro Cassuto

Composição . Direção de orquestra

Álvaro Cassuto foi director artístico e maestro titular de prestigiosas orquestras estrangeiras: da University of California, Irvine (1974/79), da Rhode Island Philharmonic (1979/85) e da National Orchestra of New York (1981/86).

É Director Artístico e Maestro Titular da “Israel Raanana Symphony Orchestra”. Em Portugal, foi maestro director da Orquestra Sinfónica da Radiodifusão Portuguesa (1988/93), e fundador da Nova Filarmónica Portuguesa (1988/93), assim como da Orquestra Sinfónica Portuguesa que dirigiu de 1993 até 1999 e da Orquestra do Algarve.

Nascido no Porto, muito cedo se afirmou como um dos compositores mais válidos da vanguarda portuguesa dos anos 60. Estudou direcção de orquestra com Pedro de Freitas Branco em Lisboa, Herbert von Karajan em Berlim e com Franco Ferrara em Hilversum. Obteve o diploma de Kapellmeister em Viena 1965 um ano depois de se licenciar em Direito pela Universidade de Lisboa.

Em 1969, o maestro Erich Leinsdorf, titular da Orquestra Sinfónica de Boston, atribuiu-lhe o Prémio Koussevitzky, o mais importante galardão americano para jovens maestros, o que determinou a sua carreira norte-americana.

Tem sido maestro convidado de muitas dezenas das melhores orquestras europeias e norte-americanas enter as quais se contam a Royal Philharmonic, a London Philharmonic Orchestra e a London Symphony Orchestra (com a qual também gravou vários cds), a Philadelphia Orchestra, as orquestras de Cleveland, Los Angeles, North Carolina, Oklahoma City e San Antonio, a Orchestra de la Suisse Romande, a BBC Philharmonic (que também dirigiu em vários festivais de música), as orquestras filarmónicas de S. Peterburgo e de Moscovo, a Israel Philharmonic, a Philharmonia Hungarica (que inclusivamente dirigiu em várias digressões pela Alemanha), a orquestra da Rádio de Leipzig (que também dirigiu no Festspielhaus em Berlim), a Staatskapelle Weimer, a Orchestra Phillarmonique de la BRT em Bruxelas (que também dirigiu na ópera “Fledermaus” de Johann Strauss no festival de Antuérpia), a Munchner Symphoniker (com a qual também gravou dois cds dedicados a aberturas de Mozart e de Rossini), e a Orquestra Nacional de España, entre muitas outras. Dirigiu as estreias em Portugal, no Teatro Nacional de São Carlos das óperas “Erwartung” de Schoenberg, “II Prigionero” de Dallapiccola, “The Bear” de William Walton e “Em Nome da Paz” da sua própria autoria, tendo também dirigido outras óperas no São Carlos e no Teatro da Trindade em Lisboa (onde lhe foi atribuído o Prémio da Imprensa).

Álvaro Cassuto tem uma discografia variada e extensa. Com a Nova Filarmonia Portuguesa gravou mais de 25 CD para as etiquetas EMI Classics e Movieplay Portuguesa com muitas dezenas de obras do repertório clássico e romântico internacional. Para a etiqueta Marco Polo gravou a integral das sinfonias de Joly Braga Santos com a Orquestra Sinfónica Portuguesa, London Symphony Orchestra, Bournemouth Symphony Orchestra, Northern Sinfonia e National Orchestra of Ireland.

Deu início a um ciclo de gravações de óperas do famoso compositor oitocentista Marcos Portugal para a etiqueta Marco Polo com a City of London Sinfonia e para a Dynamic de Génova com a orquestra Milano Classica. Também gravou CD com a Munchner Symphoniker com aberturas de Mozart e de Rossini.