compositor Alfredo Keil

Alfredo Keil

Composição

Alfredo Cristiano Keil (Lisboa, 3 de julho de 1850 — Hamburgo, 4 de outubro de 1907) era filho do alfaiate alemão, Hans-Christian Keil, (mais tarde João Cristiano Keil) e da alsaciana, Maria Josefina Stellflug, ambos de origem alemã e radicados em Portugal.
A sua educação básica deu-se igualmente na Alemanha, berço do romantismo. Esta foi, talvez, uma das razões pelas quais o artista seguia a reboque das novas tendências, já estabelecidas na Europa.

Estudou desenho e música em Nuremberga, numa academia dirigida pelo pintor Wilhelm von Kaulbach e August von Kreling. Em 1870, devido à guerra Franco-Prussiana, regressou a Portugal.

Em 1890, o ultimato inglês a Portugal ofereceu a Alfredo Keil a inspiração para a composição do canto patriótico “A Portuguesa”, com versos de Henrique Lopes de Mendonça. A cantiga tornou-se popular em todo o país e seria mais tarde feita hino nacional de Portugal – A Portuguesa.

Como compositor, ganhou destaque a sua ópera D. Branca (1888), Irene (1893) e Serrana (1899), então considerada a melhor ópera portuguesa.

Alfredo compôs a música de A Portuguesa, o hino nacional, em 1891, com letra do poeta e dramaturgo Henrique Lopes de Mendonça, aprovada em 1911, após a proclamação da República no ano anterior. Ironicamente, ele tinha morrido exatamente três anos antes do primeiro dia da Revolução.

[ Músicos naturais de Lisboa ]
Partilhe
Share on Facebook
Facebook