Lista de órgãos de tubos do distrito de Setúbal [ 9 ]

CONCELHOS

Alcácer do Sal [1]
  • Igreja Matriz de Alcácer do Sal [ Igreja Paroquial ] [ de Santiago ] [ de Santa Maria do Castelo ]: órgão histórico António Xavier Machado e Cerveira, opus s. nº, 1791
Alcochete [0]

.

Almada [0]

.

Barreiro [3]
  • Igreja Matriz do Lavradio [ Igreja Paroquial ] [ Santa Margarida ]: órgão histórico António Xavier Machado e Cerveira, opus s./n.º, s./d.
  • Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário [ Igreja Paroquial ]: órgão histórico [ I; (16+17) ], I teclado manual de 53 notas (Dó1 – Dó3 / Dó#3 – Mi5) e 33 meios registos, provavelmente de Joaquim António Peres Fontanes e seu filho, construído c. 1810, restaurado pela Oficina e Escola de Organaria em 2007, opus 50.
  • Igreja Matriz de Santa Cruz [ Igreja Paroquial ]
Igreja de Nossa Senhora do Rosário, Barreiro

Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário

Grândola [1]
  • Igreja Matriz de Grândola [ Igreja Paroquial ] [ de Nossa Senhora da Assunção ], coro alto: órgão histórico dinamarquês de 5 registos construído em 1877, que se encontrava em Aradas, Aveiro, instalado na igreja paroquial de Grândola em 2018 pela Oficina e Escola de Organaria. Foi oferta do casal Augusto e Sílvia Sousa Pinto à paróquia.
Moita [0]

.

Montijo [0]

.

Palmela [0]

.

Santiago do Cacém [0]

.

Seixal [1]
  • Igreja Matriz de Arrentela [ Igreja Paroquial ] [ Nossa Senhora da Consolação ]: órgão histórico da autoria de António Xavier Machado e Cerveira, opus s. nº, 1794 [ I ; (9+9)] restaurado pela Oficina e Escola de Organaria em 2004, opus 46.
Sesimbra [1]
  • Igreja de Nossa Senhora do Cabo (Espichel) [ do santuário ], coro alto, lado da Epístola: órgão histórico de autor desconhecido, de 1742, restaurado em 1810 por organeiro desconhecido, em mau estado de conservação.
Setúbal  [2]
  • Igreja Matriz de São Julião [ Igreja Paroquial ] : órgão histórico António Xavier Machado e Cerveira, opus 19, 1788.
  • Igreja Matriz de São Sebastião [ Igreja Paroquial ] [ do antigo Convento de São Domingos ], coro alto: órgão de um só teclado manual, 51 teclas (dó a ré’’’), 23 meios registos, pedais para cheios e trombetas em chamada. Instrumento de autor desconhecido, datado de 1720.  No estado atual resulta da intervenção realizada em 1992 por António Simões, que acrescentou a pedaleira, os seus dois registos e o sistema de acoplamento entre a pedaleira e o manual.
Sines [0]

.

Fontes gerais da Organoteca:

Oficina e Escola de Organaria, Dinarte Machado Atelier Português de Organaria, José Alberto Rodrigues, Victor Oliveira, Francisco Falcão, António Simões, Órgãos de Portugal, Nuno Rigaud, Luís Santos, António José Ferreira, Nuno Mimoso, Amílcar Silva, José Carlos Arantes, António Fonseca, autarquias.

0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *