Para Namorar Morena

Nun me gusta l pan centeno
que m’amarga la costreza;
S’algun die falei contigo,
nun me pesa, nun me pesa!

Para namorar,
para namorar, morena…
Para namorar,
bun çapato i buona meia!

Sei un ciento de cantigas
i mais ua talagada:
Puodo cantar toda a noite
i mais toda la madrugada.

Para namorar,
para namorar, morena…
Para namorar,
bun çapato i buona meia!

Diabos lhieben ls ratos
i ls dientes das formigas,
que me robírun ls lhibros
donde stában las cantigas!

Para namorar,
para namorar, morena…
Para namorar,
bun çapato i buona meia!

Yá comi, yá bui,
tengo la barriga chena!
Mas de l amor tengo fame:
só te quiero a ti, morena!

Para namorar,
para namorar, morena…
Para namorar,
bun çapato i buona meia!

Ó senhor da casa,
quiero la mano da sue filha!
You yá la namoro
hai nuobe meses i un die;
Tengo l lhume aceso,
quiero ser sou marido,
la cama caliente
pra deitar l nuosso nino.

Alhá na nuossa tierra
sou you l regidor:
Yá nun tengo mula,
cumprei um tractor;
Cabeço de la Trindade
yá sembrei la huorta:
Tardo quatro jeiras
para dar la ronda.

Ó senhor da casa,
quiero la mano da sue filha!
You yá la namoro
hai nuobe meses i un die;
Tengo l lhume aceso,
quiero ser sou marido,
la cama caliente
pra deitar l nuosso nino.

Letra: Tradicional (Planalto Mirandês, Trás-os-Montes) e Galandum Galundaina (estrofes incipit “Ó senhor da casa” e “Alhá na nuossa tierra”)
Música: Tradicional (Planalto Mirandês, Trás-os-Montes) e Galandum Galundaina
Intérprete: Galandum Galundaina (in CD “Quatrada”, Açor/Emiliano Toste, 2015)

Planalto Mirandês
Planalto Mirandês
0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *