Canto a Vozes

Canto a vozes vai candidatar-se a património imaterial

O “canto a vozes” vai apresentar candidatura a património da UNESCO procurando dar destaque às polifonias tradicionais, com o objetivo de tornar-se Património Cultural Imaterial da Humanidade. A decisão saiu de um encontro que decorreu no sábado em São Pedro do Sul, onde teve lugar a mesa redonda “O património somos nós”, tendo ainda sido constituída a comissão organizadora de uma associação de defesa dos interesses dos grupos que formalmente ou informalmente cantam, a três e mais vozes, um repertório legado pela sociedade agrária tradicional, acrescenta o comunicado dos promotores. Segundo a comunicação, existem diferentes designações locais para o canto da polifonia tradicional: cramol, terno, lote, cantada, cantedo, cantarola, moda ou cantiga. “Cantado por grupos de mulheres ou mistos, este canto é, no século XXI, uma expressão artística e um património imaterial que vincula as mulheres e homens (com maior destaque na mulher) no combate à vulnerabilidade das comunidades onde residem, reforça a identidade local e “desoculta” o papel das mulheres nos processos e práticas culturais ancestrais”, refere ainda o documento hoje divulgado. (22/01/2020)

Mais mulheres em direção de orquestra

Grupo de mulheres brasileiras em Regência de Orquestras da 37ª Oficina de Música de Curitiba.
Grupo de mulheres brasileiras em Regência de Orquestras da 37ª Oficina de Música de Curitiba.

O número de mulheres em direção de orquestra tem vindo a aumentar significativamente. Na 37ª Oficina de Música de Curitiba, Brasil, oito dos 20 alunos inscritos para a classe de Regência de Orquestra são mulheres. O número reflete o crescimento da presença feminina nesse campo da atividade orquestral, não só no Brasil, mas no mundo, e a importância do evento cultural de Curitiba como porta de entrada para a profissionalização na área. (23/01/2020)

Kika Materula Ministra da Cultura

Kika Materula
Kika Materula

O Presidente da República de Moçambique nomeou Eldevina (Kika) Materula nova Ministra da Cultura e Turismo. Materula é oboísta moçambicana, directora artística e autora do Projecto Xiquitsi, cujo objetivo é tentar a integração, inserção social e capacitação profissional de crianças e jovens, de meios desfavorecidos, por intermédio do ensino coletivo da música. Inclui o Festival Internacional de Música de Maputo (oito edições) e pretende criar a primeira orquestra sinfónica do país. O projeto valeu à atual ministra da Cultura de Moçambique uma condecoração com a medalha da Ordem de Mérito, pelo Presidente da República Portuguesa, em 2016. Kika Materula iniciou os estudos musicais aos 7 anos de idade na Escola Nacional de Música de Maputo (Moçambique). Em 1995, em Portugal, deu continuidade aos estudos musicais. Terminou a licenciatura na ESML nas classes de  Andrew Swinnerton (oboé), e Olga Prats (Música de câmara) e terminou a pós-graduação na Malmö Academy of Music. Em 2001 venceu a XVI edição do Prémio Jovens Músicos na categoria de oboé. Colaborou como convidada com a Orquestra Clássica da Madeira, Orquestra Filarmonia das Beiras, Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, Orquestra Sinfonieta de Lisboa, Orquestra Gulbenkian, Malmö Symphonie Orchestra (Suécia), Malmö Opera Orchestra, Danish Radio Sinfonietta (Dinamarca), Orquestra Sinfónica da Bahia (Brasil), entre outras. É oboé solista na Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música.

Morreu Qabous bin Said al-Said

Qabous bin Said al-Said em 2010
Qabous bin Said al-Said em 2010

Morreu Qabous bin Said al-Said (1940-2020), sultão de Omã, a 10 de janeiro de 2020. Personagem atípica conhecida pelo seu gosto pela ópera e a música clássica, desenvolveu no seu país uma imensa atividade na difusão da música e fez do Teatro da Ópera de Mascate um centro de produção cultural ativo na cena internacional. (10/01/2020)

Cancioneiro de Lovaina

Cancioneiro de Lovaina
Cancioneiro de Lovaina

Foi redescoberto um livro de canções de amor da Idade Média, datado do século XV. Canções que não tinham sido ouvidas há, pelo menos, seis séculos foram reencontradas. O Cancioneiro de Lovaina deve o seu nome à cidade da Bélgica onde se encontra atualmente. Comprado por um comerciante de arte em 2014 num leilão, o livro conheceu uma nova vida inesperada. Composto de 50 canções breves, todas manuscritas, contém contudo 12 textos que os investigadores conseguiram identificar. De facto, o comprador belga tinha-o confiado a um musicólogo da Universidade Católica de Lovaina, tendo percebido claramente que não se tratava de uma obra qualquer. (18/01/2019)

15 anos do Teatro das Figuras

O Teatro das Figuras completa, em 2020, 15 anos de existência. O seu surgimento veio alterar o panorama artístico local e regional. Com a abertura do Teatro das Figuras, o Algarve ganhou um palco de excelência para as artes performativas. Um palco capaz de dar resposta as maiores exigências técnicas que os espetáculos requerem. (06/01/2020)

Gaitas de Bravães

Uma oficina de formação em fabrico artesanal de gaitas de Bravães recuperou um ofício “perdido” há meio século naquela aldeia de Ponte da Barca e quer agora devolver o instrumento ao lugar de referência cultural de outros tempos.  Os dois primeiros instrumentos na oficina são réplicas de uma gaita produzida, em 1950, por Emílio de Araújo, um construtor da freguesia. O instrumento original integra o espólio do Museu de Etnologia de Lisboa, e está documentado nas recolhas do etnólogo Ernesto Veiga de Oliveira, entre anos de 60 e 63. (05/01/2020)

Dinis Sousa é maestro assistente dos três agrupamentos Monteverdi

maestro Dinis Sousa
maestro Dinis Sousa

​Dinis Sousa  é maestro assistente dos três agrupamentos Monteverdi, o que acontece pela primeira vez na história dos Monteverdi Choir & Orchestras. Nascido no Porto em 1988, reside em Londres onde trabalha com John Eliott Gardiner. Dinis Sousa é o maestro fundador do projecto da Orquestra XXI. (04/01/2020)

Music Moves Europe

No âmbito da Acção Preparatória 2019 – Music Moves Europe abriu uma nova chamada para projectos a desenvolver no sector da música, com foco na cocriação e coprodução. O objectivo geral deste convite é identificar e apoiar pelo menos 10 programas piloto inovadores e sustentáveis de coprodução e cocriação destinado a compositores e músicos, com um claro reconhecimento e valor agregado a fim de facilitar o desenvolvimento do repertório musical europeu. Todas as propostas devem indicar a singularidade das propostas em comparação com os esquemas de cocriação e coprodução já existentes para compositores e artistas. Todos as propostas devem incluir um método de avaliação dos resultados esperados e um resumo das boas-práticas apreendidas. (03/01/2020)

Ano Beethoven

A Bundeskunsthalle de Bona dedica uma exposição ao compositor alemão que serve de arranque simbólico da avalancha de celebrações que têm como motivo o 250º aniversário do seu nascimento. O comissariado da exposição esteve a cargo de uma historiadora da arte (Agnieszka Lulińska) e uma musicóloga (Julia Ronge), ambas conservadoras na Bundeskunsthalle e la Beethoven-Haus, o que garantiu um equilíbrio entre os conteúdos artísticos, sociológicos e estritamente musicais. (03/01/2020)

Música nas escolas

Governo britânico anuncia fundo de 85 milhões de libras para aulas de música nas escolas, esperando que as crianças se tornem capazes de ler e escrever música. Music Education Hubs proporcionará às crianças oportunidades de aprender um instrumento, cantar num coro ou fazer parte de uma banda. (03/01/2020)

Músicos Portugueses na Diáspora

soprano Susana Gaspar
soprano Susana Gaspar

Músicos Portugueses na Diáspora” é um projeto Meloteca em curso em 2020 que pretende conhecer e divulgar todos os músicos portugueses na diáspora. Cada resumo biográfico, de cerca de 300 palavras, valorizará os estudos feitos em Portugal, os laços familiares musicais, as circunstâncias que levaram a emigrar, a repercussão internacional da carreira e as relações mantidas com a música portuguesa. (01/01/2020)

Efemérides na Casa da Música

Curiosidades da Música em Portugal
Casa da Música

2020 é para a Casa da Música um ano cheio de efemérides: passarão 20 anos sobre a criação do Remix Ensemble e a transformação da orquestra numa formação sinfónica, e em Abril irão cumprir-se 15 anos sobre a abertura ao público do edifício projectado por Rem Koolhaas. (03/12/2019)

0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *