Amigas

NO APERTO DO PERIGO

No aperto do perigo,
sabe-se quem é amigo.
Mais vale um vizinho à mão
do que ao longe o nosso irmão.

Um amigo verdadeiro
vale mais do que dinheiro;
um amigo diligente
é melhor do que parente.

O amigo, quando o é mesmo,
também sabe dizer não,
mas apoia e ajuda
como a irmã e o irmão.

Um amigo que não presta,
uma faca que não corta
uma caneta já gasta,
que se percam, pouco importa.

Provérbios (já a Bíblia tem um Livro dos Provérbios) são ditos ou ditados populares que passam oralmente de geração em geração. O seu autor não é conhecido e não se sabe como surgiram.

Oriundos da China ou de Israel, dos índios ou das tribos africanas, provérbios são expressões de sabedoria que resumem a observação de anos e de séculos. No que se refere ao tempo, aos sentimentos, às competências, às relações, ao amor, às atitudes.

SUGESTÕES

Muitos provérbios já têm ritmo, rima e musicalidade. Na escola ou em família, podem dizer-se em estilo RAP (Rhythm and Poetry, isto é, Ritmo e Poesia).

Os provérbios, adaptados ou não, podem ser uma oportunidade para jogos divertidos. Estando numa roda, as crianças mantêm a palma da mão esquerda para cima. Uma bola maleável, de tamanho médio, passará de mão em mão. A esquerda recebe, a direita pega e passa. Como a passagem da bola deve ser feita sem perder a pulsação, o professor treina esse aspeto antes de introduzir a quadra/provérbio. Quando o grupo for competente, introduz o provérbio. Poderá introduzir mais do que uma bola quando achar conveniente.

Em vez de passar a bola maleável, o professor pode utilizar uma bola pequena de basquetebol, que cada criança, em círculo, deverá bater no chão de modo a passar ao colega da sua direita.

António José Ferreira

Amigas

Amigas

0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *