Caixa metálica quadrada

Quem tem um filho com necessidades especiais, tem um desafio permanente a encontrar o que o desenvolve, relaxa e valoriza. Se estiver atento e desenvolver a criatividade, vai encontrar objetos, ferramentas, canções e timbres que tornam a criança mais feliz: ser criativo é uma forma de amar.

António José Ferreira

A “Música Especial em Casa” é especialmente dedicada a famílias de crianças com necessidades educativas especiais. Os instrumentos foram ou podem ser utilizados com crianças portadoras de deficiência profunda – mas isso não significa que não possam ser utilizadas com todas as crianças do Ensino Regular em contexto de Atividades de Enriquecimento Curricular ou no Jardim de Infância.

A pandemia foi um desafio enorme que gerou uma aproximação que nunca fora possível entre a Escola e a Família. Esteja atento a pequenos objetos cujo conteúdo se esgotou. Por vezes, basta tirar a etiqueta e lavar para ter um pequeno instrumento que faz feliz o seu filho e o ajuda a desenvolver competências. Se este artigo lhe for útil e inspirar boas práticas, marque-o como favorito.

1. O desenvolvimento começa em casa.

Antes ainda de a criança nascer, o seu desenvolvimento faz-se com os sentidos e através dos sentidos. Antes de a criança saber o que é o amor, percebe que é amada. A música e a ternura são aliados especialmente valiosos nos primeiros anos de vida.

2. A cidadania aprende-se com a prática.

Ainda antes de ter noção do que deve ser enquanto cidadão, a criança absorvem os valores da gentileza e da atenção ao outro. Antes de irem para a escola as crianças já viveu o que é ser bondoso, saudar, pedir desculpa, dizer obrigado.

3. A criança tem atividades favoritas.

A criança não fala e não caminha autonomamente mas gosta de apertar e desapertar, de enroscar e desenroscar? Proporcione-lhe momentos de ação com recipientes reutilizados que são fáceis de lavar e desinfetar. Verificando que os objetos não representar qualquer risco para a criança, verá satisfação quando ela se envolve em colocar ou tirar, por exemplo, um pauzinho.

4. A limitação contorna-se com imaginação.

Pela sua problemática, a criança com deficiência tem por vezes tendência para lançar objetos ao chão. Selecione objetos de som agradável de alturas diferentes e ela criará contigo melodias improvisadas. Podem ser canas de bambu de tamanhos diversos ou tubos metálicos.

5. A música promove boas rotinas.

Na infância, especialmente no caso de crianças com necessidades educativas especiais, as rotinas são importantes para a estabilidade e segurança. Crie rotinas em que a música ajuda a memorizar de algum modo os dias, um tempo de exploração sonora ao sábado.

6. A música desperta (os) sentidos.

Quando a criança tem limitações que não são comuns, tem o desafio de utilizar utilizar a música como aliada para o desenvolvimento dos sentidos.

António José Ferreira

0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *