FIPE

I FESTIVAL INTERNACIONAL DE PERCUSSÃO DE ÉVORA

A Associação e o Conservatório Regional de Évora “Eborae Mvsica” promove nos dias 7, 8 e 9 de dezembro de 2018 o I Festival Internacional de Percussão de Évora sob a orientação de Vasco Ramalho, Sérgio Almeida, Rui Sul Gomes e Igor Lesnik, no Convento dos Remédios, e no Teatro Garcia de Resende.

Haverá os seguintes concertos:

07 de dezembro, 21h30, com Simantra GP, no Teatro Garcia de Resende

08 de dezembro, 21h30, por Guirimbadu (Guitarra e Marimba), no Convento dos Remédios

09 de dezembro, 19h30, o Concerto de Encerramento, com todos os participantes e tendo como solistas Rui Quintas e Vasco Ramalho, no Teatro Garcia de Resende.

As classes de aperfeiçoamento e Workshops têm como objetivos contribuir para o desenvolvimento técnico e artístico dos formandos; partilhar experiências individuais e coletivas; promover e valorizar o trabalho desenvolvido pelos formandos; motivar o progresso na aprendizagem, contactar e trabalhar com grandes nomes do panorama musical nacional e internacional.

Vasco Ramalho estudou na Escola Profissional de Musica de Évora, e na Universidade de Évora onde se licenciou em percussão na classe de Eduardo Lopes no ano 2005. Entre 2006 e 2008 frequentou uma Pós-Graduação em marimba solista no Royal Conservatory Antwerp – Bélgica com Ludwig Albert.

Participou em vários cursos e festivais internacionais dos quais se destaca: Zeltsman Marimba Festival 2003 que decorreu em Aplleton – WI – USA; Ludwig Albert Academy 2006 – Belgica; Keiko Abe Academy 2007 – Belgica onde trabalhou com Keiko Abe; IPEW 2008 – Croácia. Festival de musica da UÉ 2013, Tomarimbando 2014/2017, Percussion Friends 2017 no Conservatório de Amsterdão, entre outros.

Em Julho de 2017 lançou o seu primeiro CD, Vasco Ramalho – Essências de Marimba, Fados & Choros tendo feito mais de meia centena de atuações por todo o país. É membro do Duo Gurimbadu com o guitarrista Eudoro Grade, projeto que se tem apresentado em vários países.

Rui Sul Gomes, timbales, estudou no Conservatório Nacional de Lisboa, com Girão Ferreira, e na Academia Nacional Superior de Orquestra. Paralelamente, frequentou os cursos de aperfeiçoamento de Benoit Cambrelaing, Nicolas Martynciow, Juanjo Guillem, Miquel Bernat, Steven Schik, John Bergamo, Ema-nuel Sejourné e Robert Van Sice, entre outros e estudou, a nível particular, com Nick Woud, Solista da Orquestra do Real Concertgebouw de Amesterdão. Apresentou-se com diversas formações nos princi-pais festivais em Portugal, no Coliseu do Porto e na Fundação Calouste Gulbenkian. Como solista, atuou com a Orquestra Académica Metropolitana, a Filarmonia das Beiras e a Orquestra Clássica de Espinho, com a qual tocou, em primeira audição em Portugal, o Concerto Fantasia para dois Timpaneiros e Orquestra de Philip Glass, com o percussionista Miguel Bernat. Apresentou-se em vários países da Europa, nos Estados Unidos da América, na Tailândia e em Macau. Tem sido convidado para orientar cursos de percussão e leciona atualmente na Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo do Porto e na Academia Nacional Superior de Orquestra.

Igor Lesnik é um dos principais percussionistas europeus. A suas composições fazem parte de programas de concertos de solistas de renome e grupos de percussão bem como competições de percussão. Das suas colaborações com vários colegas surgiu uma grande coleção de gravações e concertos internacionais o que levou a música de percussão croata a ser conhecida em todo o mundo Desde 1984 lidera a secção de percussão da orquestra sinfónica da rádio croata e, desde 1990 organiza eventos internacionais de percussão. Igor Lesnik e o organista Mario Penzar apresentaram-se em duo pela primeira vez na Bienal da Música Zagreb em 1999 estreando várias peças para órgão e percussão de compositores croatas. Desde então, fizeram uma tourné mundial em igrejas e salas de concerto.

Sérgio Almeida começou a sua paixão pelo Djembe e a Tradição Mandingue em Portugal, primeiro entre amigos, integrando alguns grupos de percussão e depois pelo Mestre Gueladjo Sané que deu a conhecer a verdadeira riqueza da percussão africana e a sua polirritmia.

Viajou pela África, Senegal e Mali em 2002, esteve com Mestre de Kora Djibril Diabaté conhecendo a tradição de um ponto de vista mais melódico e aprofundando sua linguagem com os mestres da região.

Incorporou durante vários anos o grupo de percussão Belga Instinct Baroudeur em que viajou por vários países da Europa em concertos e em festivais. Desde 2006 estabeleceu-se por definitivo no sul de Portugal, fundou o grupo de Percussão Rhakatta, que conta com numerosas apresentações em festivais.

As inscrições serão aceites por ordem de chegada e até ao dia 23 de novembro de 2018.
Podem ser obtidas mais informações junto da associação/Conservatório, através do e-mail eboraemusica@mail.evora.net, ou www.eborae-musica.org ou telef: 266746750.

0 comentários

Deixe o seu comentário

Dê a sua opinião
O seu contributo torna-nos melhores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *