Jornal de Música

Herbário

Plantas aromáticas e medicinais na Meloteca

A Meloteca tem um Jardim Multissensorial que inclui uma coleção de instrumentos reutilizados que as crianças e adultos podem manusear e tocar, diversos equipamentos lúdicos, várias dezenas de frutos comestíveis e mais de 60 ervas aromáticas e plantas medicinais. Entre maio e setembro pode agendar o aniversário do seu filho num pequeno espaço de natureza com diversão garantida.

Absinto

Artemisia absinthium

Agastache

Agastache foeniculum

Alecrim

Rosmarinus officinalis

Alfazema [ Lavanda ]

Lavandula angustifolia

Alho

Allium sativum

Anis [ Erva-doce ]

Pimpinella anisum

Arméria branca

Armeria pseudoarmeria var. “Ballerina White”

Arruda

Ruta graveolens

Balsamita

Tanacetum balsamita

Buddleia [ Flôr-de-mel ]

Buddleja davidii

Camomila

Matricaria chamomilla

Cardo-penteador

Dipsacus fullonum

Carvalhinha

Teucrium chamaedrys

Cebolinho

Allium schoenoprasum

Coentros

Coriandrum sativum

Cravinas

Dianthus caryophyllus

Endro

Anethum graveolens

Erva-cidreira

Melissa officinalis

Erva da Prata

Paronychia argentea

Escalónia-branca

Escalonia illinita

Estêva

Cistus ladanifer

Estragão

Artemisia dracunculus

Funcho

Foeniculum vulgare

Hipericão-do-Gerês

Hypericum androsaemum

Hissopo

Hyssopus officinalis

Hortelã

Mentha spicata

Hortelã-de-cabra

Cedronella canariensis

Hortelã-pimenta

Mentha piperita

Hortelã-vietnamita

Persicaria odorata

Incenso-bastardo

Plectranthus forsteri marginatus

Jasmim

Jasminum officinale

Limonete

Aloysia citriodora

Manjericão

Ocimum basilicum

Manjerona

Origanum majorana

Margarida [ Calêndula ]

Calendula officinalis

Marioila

Phlomis purpurea

Milfólio

Achillea millefolium

Mirra-bastarda

Plectranthus sp.

Nêveda-dos-gatos

Nepeta cataria

Orégãos

Origanum vulgare

Pelargónio-de-folha-pequena

Pelargonium odoratissimum

Pelargónio-limão

Pelargonium crispum

Pelargónio Radula

Pelargonium radula

Pelargónio “Sweet Mimosa”

Pelargonium “Sweet Mimosa”

Pêra-meloa

Solanum muricatum

Pimenta malagueta

Capsicum frutensis

Poejo

Mentha pulegium

Primavera [ Prímula ]

Primula vulgaris

Rapazinhos

Salvia microphylla

Rosmaninho-africano

Eriocephalus africanus

Rúcula

Eruca sativa

Sabugueiro

Sambucus nigra

Salsa

Petroselinum sativum

Sálvia

Salvia officinalis

Sálvia-ananás

Salvia elegans

Sálvia branca

Salva apiana

Saponária

Saponaria officinalis

Sargaço-branco

Teucrium fruticans

Segurelha

Satureja hortensis

Tomilho

Thymus especies

Tomilho-poêjo

Thymus pulegioides

Violeta-de-cheiro

Viola odorata

Zimbro

Juniperus comunis

Frutália

A Meloteca tem um Jardim Multissensorial que inclui uma coleção de instrumentos reutilizados que as crianças e adultos podem manusear e tocar, diversos equipamentos lúdicos, várias dezenas de frutos comestíveis e mais de 60 ervas aromáticas e plantas medicinais. Entre maio e setembro pode agendar o aniversário do seu filho num pequeno espaço de natureza com diversão garantida.

Abacate

. Avocado

. . Persea americana

Abrunho

. Blackthorn

. . Prunus spinosa

Alperce

. Apricot

. . Prunus armeniaca

Ameixa branca

. Plum

. . Prunus domestica

Ameixa vermelha

. Plum

. . Prunus domestica

Amora amarela [ de árvore ]

. White mulberry

. . Morus alba

Amora do Japão

. Japanese wineberry

. . Rubus phoenicolasius . Ásia

Amora dos Himalaias

. Blackberry

. . Fruticosus Himalaya

Amora preta

. Blackberry

. . Morus nigra

Amora preta

. Blackberry

. . Rubus argutus

Amora preta

. Blackberry

. . Rubus caesius

Araçã amarelo

. Strawberry guava

. . Psidium cattleyanum

Araçã roxo

. Purple guava

. . Psidium rufum

Arando

. Bilberry

. . Vaccinium Myrtillus

Arónia

. Chokeberry

. . Aronia prunifolia

Avelã

. Hazel

. . Corylus avellana

Azeitona

. Olive

. . Olea europaea

Carissa (Ameixa de Natal)

. Natal plum

. . Carissa grandiflora macrocarpa

Castanha

. Sweet chestnut

. . Castanea sativa

Cereja

. Cherry

. Prunus avium

Clementina

. Clementine

. . Citrus reticulata

Clemenvila

. Clemenvilla

. . Citrus reticulata

Damasco

. Apricot

. . Prunus armeniaca

Diospiro Coroa de Rei

. Japanese persimmon

. . Diospyros kaki

Diospiro-maçã

. Japanese persimmon

. . Diospyros kaki

Feijoa

. Pineapple guava

. . Acca sellowiana

. . . Brasil, Uruguai

Figo da Índia

. Cactus crop

. . Opuntia ficus-indica

. . . México

Figo pingo de mel

. Fig

. . Ficus carica

. . . Mediterrâneo

Framboesa amarela

. Sweet raspberry

. . Rubus idaeus

. . . Ásia

Framboesa da China

. Chinese raspberry

. . Rubus Xanthocarpus

. . . Ásia

Framboesa vermelha

. Red raspberry

. . Rubus idaeus

. . . Ásia

Fruto do paraíso

. Philodendron

. . Monstera deliciosa

Ginja

. Wild cherry

. . Prunus cerasus

Goiaba

. Common guava

. . Psidium guajava

. . . Brasil

Goji

. Goji

. . Lycium barbarum

Groselha branca

. White currant

. . Ribes album

Groselha europeia

. Black currant

. . Ribes uva crispa

Groselha preta

. Jostaberry

. . Ribes nigrum

Groselha vermelha

. Garnet berry

. . Ribes rubrum

Groselha preta

. Jostaberry

. . Ribes nigrum

. . . Américas

Kiwi verde

. Kiwifruit

. . Actinidia deliciosa

Kiwi vermelho

. Kiwifruit

. . Actinidia deliciosa

Laranja

. Orange

. . Citrus sinensis

Laranja da Baía

. Orange

. . Citrus sinensis

Líchia

. Lychee

. . Litchi chinensis

. . . Ásia

Lima

. Bitter orange

. . Citrus aurantium

. . . Índia e Sul da Ásia

Limão comum

. Lemon

. . Citrus Limonium

. . . Ásia

Maçã Bravo de Esmolfe

. Apple

. . Malus domestica

Maçã Reineta

. Apple

. . Malus domestica

Maracujá roxo

. Passion fruit

. . Passiflora edulis

. . . Brasil

Marmelo

. Quince

. . Cydonia oblonga

. . . Sudoeste asiático

Medronho

. Strawberry

. . Arbutus unedo

Mirtilo

. Blueberry

. . Vaccinium myrtillus

[ Mirtilo cor de rosa

. Pink lemonade

. . Vaccinium Corymbosum ]

Mirtilo da Sibéria

. Billberry

. . Lonicera caerulea

. . Ásia Central

Morango trepador

. Strawberry

. . Fragaria vesca

Nashi

. Nashi pear

. . Pyrus pyrifolia

[ Nectarina

. Peach

. . Prunus persica

. . . China ]

Nêspera europeia

. Medlar

. . Mespilus germanica

Nêspera japonesa

. Loquat

. . Eriobotrya japonica

. . . Japão

Noz

. Nut

. . Carya illinoensis

Noz de Macadâmia

. Macadamia nut

.. Macadamia integrifolia Maiden et Betch

Papau

. Papaw

. . Asimina triloba

Paraguaio

. Flat peach

. . Prunus persica

… China

Pera Williams

. Williams pear

. Pyrus communis

[ Pêssego

. Peach

. Prunus persica ]

Physalis

. Baloon cherry

. . Physalis angulata

. . . América do Sul

Pistáchio

. Pistachio

. . Pistacia lentiscus

. . . Sudoeste asiático

Pitanga

. Brazilian cherry

. . Eugenia uniflora

. . . Brasil

Romã

. Pomegranate

. . Punica granatum

. . . Ásia

Tamarilho

. Tree tomato

. . Solanum betaceum

Tangerina

. Ponkan mandarin

. . Citrus reticulata Blanco

Uva Moscatel

. Grape

. Vitis vinifera

. . . Europa

Uva Cardinal

. Grape

. . Vitis vinifera

. . . Europa

Uva crispa branca

. Gooseberry

. . Ribes uva-crispa

Uva crispa vermelha

. Gooseberry

. . Ribes uva-crispa

I Concurso Ibero-Americano de Clarinete

Condições de admissão

O “1º Concurso Ibero-Americano do Clarinete” destina-se a todos os clarinetistas naturais ou residentes num país do espaço Ibero-Americano, nascidos a partir de 1 de janeiro de 1989.

Conditions of admission

The “1º Concurso Ibero-Americano do Clarinete” is open to all clarinet players born or resident in a country belonging to the Ibero-American area, after January 1st 1989.

Prémios
O “1º Concurso Ibero-Americano do Clarinete” oferece os seguintes prémios:

Prizes

The “1º Concurso Ibero-Americano do Clarinete” offers the following prizes:

Primeiro prémio | First Prize

  • 5000€ em dinheiro | cash

Segundo prémio | Second Prize

  • 3000€ em dinheiro | cash

Terceiro prémio | Third Prize

  • 1500€ em dinheiro | cash

Existe a possibilidade de serem atribuídos prémios adicionais.

There is a possibility that additional prizes will be offered.

Funny Girl

Workshop de Teatro Musical “Funny Girl”

Josh Lay e Martin Callaghan no Porto!

As estrelas do musical e do filme “Funny Girl”, no West End London, reunidos para um workshop de Teatro Musical exclusivo na cidade do Porto.

Nos dias 16 e 17 de fevereiro, Josh Lay e Martin Callaghan trazem toda a experiência adquirida ao longo dos anos na área da Representação, do Canto e da Dança nos palcos da Broadway e West End London.

Datas e horários:
Dia 16 das 19h00 às 21h00
Dia 17 das 10h30 às 18h30

Valor: €80

Local: Broadway Portugal
Rua Antero Quental, 216-220 Porto
Tel: 933 070 446

As vagas são limitadas, faça já a sua inscrição!

Brincar Meloteca

Brincar Meloteca, por Sílvia Monteiro e António José Ferreira, a 16 e 23 de fevereiro, 14:30-17:00, na Rua Central de Campos, 1086, Avintes, no âmbito das Comemorações do “Mês de Avintes”. É aberto a todas as idades e sem custos, mas as crianças devem ser acompanhadas de um adulto. Se estiver de chuva, a atividade será agendada para março.

Colagem de atividades

Além do sítio www.meloteca.com e do Musorbis, sítio do património musical a lançar em 2019, Meloteca é um pequeno espaço de natureza lúdico para crianças e adultos, com baloiços, cestos de basquetebol, matraquilhos, balizas para jogos de bola e outras diversões. Para adultos, estará disponível uma exposição/venda de pequenos instrumentos e edições Meloteca, bem como livros usados para troca. Dê um livro de música ou disco (incluindo vinil que já não lhe interesse), e receba um livro de literatura (ou outro). Há uma coleção pedagógica de instrumentos musicais reciclados dispersos pelo espaço. A árvore que dá flores, frutos e sombra funciona também como suporte instrumental. Crianças (e adultos) podem experimentar sonoridades e desenvolver competências psicomotoras, criando uma paisagem sonora original no espaço de natureza.

 

Frutos comestíveis

FRUTÁLIA

Nos numerosos arbustos e árvores de fruto comestível, há etiquetas com os nomes português e científico, a região de origem.

Além da fruição em modo de brincadeira livre, é possível a organização de jogos e oficinas variadas no âmbito da Música, Psicomotricidade e Conhecimento ou Estudo do Meio. Entre maio e setembro, agende o aniversário do seu filho neste espaço multissensorial de natureza. No 3º período escolar, turmas podem realizar uma visita de estudo e de brincadeira por 2€ criança.

HERBÁRIO

Há ainda uma coleção de mais de 60 espécies de plantas aromáticas e medicinais devidamente identificadas, bem como uma coleção de suculentas sem picos.

BRINCAR MELOTECA

“Diz-me e eu esquecerei.
Ensina-me e eu lembrarei.
Envolve-me e eu aprenderei.”

(Provérbio chinês)

Professora Sílvia Monteiro

O movimento em geral desempenha um papel significativo no desenvolvimento da criança e os jogos, em particular, trabalham as potencialidades, limitações, relações sociais, afetivas, cognitivas e físicas. Pretende-se com o “Brincar Meloteca” realizar atividades que permitam à criança vivenciar e experimentar novas práticas físico-motoras, no sentido de alargar o seu alfabeto motor, incentivar a prática de atividade física e principalmente potenciar o espírito de equipa, cooperação, colaboração e respeito pelo outro. Além disso, durante as brincadeiras, a criança, desenvolve o exercício da fantasia e da imaginação, adquirindo, assim, experiências que irão contribuir para a sua formação.

Sílvia Monteiro

JOGO DA BOMBA

O objetivo deste jogo é passar pela bomba (bola) sem que esta acerte em qualquer parte do corpo.

O professor está no meio com uma bola presa na ponta de uma corda e fá-la andar à sua volta. As crianças estão à volta e, para não serem atingidas, devem saltar no momento certo e à altura correta por cima da “bomba”. Sempre que a bomba acertar “explode” e a criança que a fez “explodir” sai do jogo.

QUEM É O CHEFE?

O objetivo deste jogo é adivinhar quem está a chefiar o grupo.

Numa roda de crianças é escolhida uma, aleatoriamente, que será o detetive. O detetive tentará descobrir quem é o chefe do grupo. Após a escolha do detetive, este terá de ir para um local sem possibilidade de visualizar o grupo. Neste momento é escolhido, também aleatoriamente, o chefe. O detetive é chamado e entra para o centro da roda. O jogo começa com o chefe a comandar o grupo realizando vários movimentos que o restante grupo copia. O jogo termina quando o detetive descobre o chefe ou passado um determinado período de tempo (2’).

TRAVESSIA DO RIO

O objetivo deste é atravessar um “rio”, tentando chegar o mais rápido possível à outra margem. Com a ajuda de arcos e com trabalho de equipa será possível atravessar sem correr riscos. Os arcos servem de apoio para se poder avançar sem cair ao rio, estando dispostos em fila sobre o “rio” e as crianças saltam pelos arcos, quando a primeira criança chega ao primeiro arco a última criança terá de fazer passar o último arco pelos colegas até chegar ao primeiro que por sua vez o colocará no “rio” para poder saltar para ele. Ganha a equipa que chegar primeiro à outra margem.

CORRIDA DO LENCINHO

O objetivo deste jogo é marcar o número máximo de pontos para que alguma das equipas seja a vencedora. Cada equipa encontra-se no extremo oposto do terreno. O juiz coloca-se no meio do terreno, com o lenço na mão e chama um número. Cada jogador tem um número atribuído. O jogador correspondente de cada equipa corre em direção ao lenço e tenta apanhá-lo. Neste caso, verificam-se as seguintes hipóteses:

  • Se fugir com o lenço para o campo da sua equipa, sem ser tocado pelo adversário, marca um ponto.
  • Se fugir para o campo da equipa adversária, sem ser tocado, marca dois pontos.
  • Se fugir mas for tocado pelo adversário é atribuído um ponto ao adversário.

CORRIDA DA BOLA

O objetivo é apanhar a bola.

Formam-se duas rodas, uma maior que fica por fora e outra mais pequena que fica dentro da roda maior formando um corredor entre as duas rodas. As crianças sentam-se, a roda maior virada para dentro e a roda menor virada para fora. No corredor coloca-se uma bola que as crianças terão de a fazer rolar com as mãos, pelo corredor. No lado oposto está uma criança que tentará apanhar a bola, correndo atrás dela pelo corredor. O jogo termina quando a bola é apanhada ou após um determinado período de tempo (2’).

ARRUMAR A CASA

A casa é composta por 4 divisões (4 arcos de 4 cores diferentes). Cada grupo de crianças tem à sua responsabilidade uma divisão. O jogo inicia-se com a casa toda desarrumada com um indeterminado número de objetos (papéis de 4 cores diferentes, as mesma cores que os arcos) desarrumados e fora do sítio. O objetivo é arrumar a casa, ou seja, cada grupo de crianças terá de apanhar o objeto da cor da sua divisão e colocá-lo no seu arco. Após apanharem todos os objetos da sua divisão e os colocarem no seu arco a equipa senta-se à volta do seu arco. A equipa mais rápida é a vencedora.

JOGO DOS CONJUNTOS

O objetivo deste grupo é formar conjuntos o mais rápido possível, seguindo as instruções.

Os conjuntos podem variar segundo o número e género.

No início do jogo é estipulado que os arcos amarelos correspondem às raparigas e que os arcos vermelhos correspondem aos rapazes. As instruções são dadas pelo levantamento dos arcos, assim se for levantado um arco vermelho e dois amarelos as crianças têm de formar grupos com um menino e duas meninas. Após formarem os conjuntos sentam-se para poder ser verificado se os conjuntos estão corretos.

JOGO DAS FUNÇÕES

O jogo das funções consiste no seguinte: são atribuídas funções (movimentos) a números, podendo ir até ao número 5 ou até ao número 10. Cada número tem uma função ao ser solicitado um determinado número as crianças terão que executar a função correspondente. Quem se enganar – ou o último a executar o movimento – sai do jogo.

Conforme as circunstâncias e o número de crianças poderá haver:

Bichinho da Música

Conjunto de atividades musicais em forma de espetáculo improvisatório

Carro de pedais

Corrida contra-relógio em circuito

Animália

Contacto com pequenos animais (tartarugas, peixes, pintos, garnisés, patinhos)

Aldeia na areia

Um grupo de crianças constrói uma aldeia na areia, utilizando areia húmida e sólidos geométricos reutilizados e pás.

Agarra pato

À volta de um tanque, dois grupos de crianças competem entre si com estratégias próprias para agarrar dois patos que terão sido lançados à água.

Descobrindo continentes

Três grupos procurarão 5 árvores ou arbustos originários da Europa, América e Ásia. Ganha o grupo que primeiro encontrar 5 plantas. (As árvores terão uma etiqueta que as identifica com o nome e continente).

Bola no cesto

Lançamento espontâneo ou organizado em cestos de basquetebol.

Campeonato de matraquilhos

Jogo em pares, que pode ser livre ou organizado

EVENTOS COM TURMAS DO 1º CICLO

Casa da Meloteca

Atividades com turmas de 1º Ciclo e Jardim de Infância custam 2€ por criança (2 horas), podendo ser marcados às terças, quartas e sextas, de manhã, no 3º Período. Contacte-nos:

António José Ferreira

962 942 759

meloteca@meloteca.com

Terras Sem Sombra

Cante Alentejano estreia-se no Kennedy Center e abre portas à economia portuguesa

O Terras sem Sombra une, de forma inédita, a música ao património e à biodiversidade, e caracteriza-se por associar, à exigência da qualidade, uma programação de cariz internacional. Tem por palco o Alentejo, uma das regiões onde mais se faz sentir o peso da identidade, e o evento não se limita a trazer o mundo ao seu território leva também o Alentejo ao mundo.

A edição de 2019 tem, como país convidado, os Estados Unidos, e traz a Portugal destacados intérpretes do outro lado do Atlântico, assim como uma programação, que faz uma radiografia da música norte-americana, do século XIX à criação mais recente. Estão previstas estreias, integrais ou europeias, de alguns dos mais importantes compositores americanos da actualidade.

A abertura do festival ocorre, em Washington, num santuário das artes performativas dos EUA, o Kennedy Center. No coração da capital escutar-se-á, pela primeira vez, o Cante, através das vozes do Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de S. Bento, um agrupamento “clássico” da música tradicional alentejana. A actuação terá lugar no Millenium Stage do Kennedy Center e será transmitida, em directo, pelo canal de TV da instituição, com audiências significativas, dentro e fora dos EUA.

O périplo por terras do Tio Sam, é acompanhado por presidentes e vereadores de câmaras municipais – como Beja, Serpa, Ferreira do Alentejo, Cuba, Vidigueira ou Sines –, mas também responsáveis por algumas das principais empresas da região, entre elas o Porto de Sines, a EDIA, a ACOS, que organiza a OVIBEJA, a Adega Cooperativa da Vidigueira ou as agências de Desenvolvimento Regional e de Promoção Turística do Alentejo, que realizarão reuniões com entidades locais.

Com a colaboração da embaixada portuguesa em Washington, da sua homóloga em Lisboa e da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, assim se constrói a cultura como motor da diplomacia económica, mostrando o potencial da arte, do património e da natureza – os três pilares do Terras sem Sombra – para abrir portas. Afirmar o Alentejo enquanto destino privilegiado de arte e natureza é o objectivo do festival, uma organização da Associação Pedra Angular que apresenta, em 2019, a 15.ª edição.

Um Festival, seis países, uma região

O Terras sem Sombra começa a 26 de Janeiro na Vidigueira e conta com quase 50 actividades, entre concertos, conferências, visitas ao património e acções de salvaguarda da biodiversidade, em 13 cidades: Vidigueira, Serpa, Monsaraz, Valência de Alcântara, Olivença, Beja, Elvas, Cuba, Ferreira do Alentejo, Odemira, Barrancos, Santiago do Cacém e Sines.

Espanha está bem presente, nesta edição do festival, que inaugura em Portugal o ciclo de eventos de Mostra Espanha 2019, a convite do Governo espanhol. De Madrid virá o Trío Arbós, com um programa de música hispano-portuguesa dos séculos XIX-XX. Juan de la Rubia, organista titular da basílica da Sagrada Família, de Barcelona, apresentará, na Sé de Elvas, a obra de Antonio de Cabezón. “Fora da caixa” será o concerto, em Odemira, com Quartetazzo, formado por quatro mulheres flautistas da Argentina, do Brasil e de Espanha, que recriou melodias tradicionais da América do Sul.

Se os laços à América e a Espanha dão o mote ao TSS, os autores e intérpretes portugueses, uma prioridade do festival, assumem decidido protagonismo, com nomes como Ana Telles, a Orquestra Clássica do Sul e o maestro Rui Pinheiro, Sofia Diniz, Fernando Miguel Jalôto ou Nuno Lopes. Há também espaço para uma aproximação a outras pátrias musicais, abarcando intérpretes da Hungria, da República Checa e das Filipinas, algo a ter em conta numa edição dedicada ao périplo de Fernão de Magalhães, mas que não esquece os 550 anos do nascimento de Vasco da Gama (1569-2019).

Participar no Terras significa adentrar-se no que o Alentejo tem de mais interessante para oferecer. Neste ano, a panóplia patrimonial abre-se decisivamente a novos âmbitos, entre eles o património imaterial, dando grande atenção a aspectos tão diversificados como o fabrico artesanal do pão, a aprendizagem do Cante ou as tradições relacionadas com os astros, com a sua observação nocturna como pano de fundo.

Quanto à biodiversidade, 2019 vai ser um ano cheio de aventuras. Por exemplo, acompanhar o elevador de peixes da barragem de Pedrógão, participar na festa do mundo rural – seguindo um rebanho de ovelhas de raças autóctones ao longo das canadas reais, com os pastores de Beja e do Fundão – ou entrar nas águas portuárias de Sines para conhecer a vanguarda da aquacultura. Ou ainda, na Extremadura, percorrer a maior mancha de monumentos megalíticos da Europa, em Valência de Alcântara, conhecer os segredos do Tejo internacional ou aprofundar a personalidade única de Olivença.

[ Adicionado a 12 de janeiro de 2019 ]

 

Festival CriaSons

2ª EDIÇÃO FESTIVAL CRIASSONS

Tendências da Música de Câmara Portuguesa Contemporânea
2018/2019

  • 14 obras em estreia absoluta
  • 6 “compositores residentes” de prestígio internacional – Eurico Carrapatoso, Alexandre Delgado, AmílcarVasques-Dias, Fernando Lapa, Cândido Lima, Alejandro Erlich Oliva
  • 6 “compositores emergentes” seleccionados por concurso – Edward d’Abreu, Tiago Derriça, Miguel Jesus, Camila Menino, Samuel Pascoal, Hugo Reis
  • 12 concertos por todo o Portugal e Holanda
  • 1º concerto CriaSons 2018/2019 – 10 DEZ – Palácio Foz – 18h

Em 2018/2019, o Festival CriaSons regressa para a sua segunda edição com o objectivo de continuar e aprofundar a missão a que se propõe: promover e divulgar amplamente a música erudita, com particular incidência na criação contemporânea produzida em Portugal.

Concebido e organizado pela Musicamera Produções, o CriaSons convidou para esta edição seis prestigiados compositores “residentes”, responsáveis pela construção dos seis Programas que compõem o festival.

Eurico Carrapatoso, Alexandre Delgado, Amílcar Vasques Dias, Fernando Lapa, Cândido Lima e Alejandro Erlich Oliva assinam, assim, os Programas que contêm obras suas – muitas das quais em estreia absoluta –, obras de outros grandes criadores internacionais dos séculos XX e XXI – relevantes na sua formação ou no seu percurso – e, ainda, uma obra especialmente composta para o festival por cada um dos seis compositores “emergentes” – seleccionados através do Concurso CriaSons (2018). Os vencedores Edward d’Abreu, Tiago Derriça, Miguel Jesus, Camila Menino, Samuel Pascoal e Hugo Reis terão assim oportunidade de apresentar uma nova obra, inédita, em estreia mundial, na 2ª edição do CriaSons.

Nas palavras do director artístico Brian MacKay: “Seis personalidades musicais muito diferentes – Eurico Carrapatoso, Alexandre Delgado, Amílcar Vasques-Dias, Fernando Lapa, Cândido Lima e Alejandro Erlich Oliva – proporcionam um retrato da extraordinária riqueza da criatividade musical que se vive actualmente em Portugal”.
De Dezembro de 2018, e ao longo de todo o ano de 2019, o CriaSons leva os seis Programas a diversos auditórios e teatros de Norte a Sul do país – Lisboa, Porto, Viana do Castelo, Faro, Mirandela, Vila Real, Seia, Almada, Évora – e em digressões internacionais. Uma viagem que começa já no próximo mês, dia 10 de Dezembro, com o 1º concerto CriaSons 2018/2019, no Palácio Foz, em Lisboa, pelas 18h, onde será apresentado o Programa a cargo do compositor Fernando Lapa.

Todas as novas obras terão ainda edição em CD com o selo de uma editora de prestígio, estando também garantida a edição em partitura das mesmas.

O Festival CriaSons assume-se como um “retrato” das tendências da música de câmara portuguesa contemporânea que se mostra, nesta 2ª edição, de forma mais relevante e ambiciosa, aumentando o número de obras em estreia absoluta (14), de compositores residentes (6), de concertos (12) e de cidades portuguesas abrangidas (9), e convidando, pela primeira vez, compositores emergentes a participar neste fórum privilegiado de divulgação, fruição e análise da música feita hoje em Portugal.

SOBRE O 1º CONCERTO CRIASONS 2018/2019
10 DEZ
PALÁCIO FOZ – Lisboa
18h
Programa Fernando Lapa
Direcção: Brian MacKay
Músicos: Jill Lawson (piano), Paulo Gaspar (clarinete), Luís Pacheco Cunha (violino), Pedro Oliveira (2o violino), Isabel Martín Garcia (violeta), Catherine Strynckx (violoncelo), Daniela Matos, Laura Martins, Beatriz Maia, Aoife Hiney, Nélia Gonçalves, André Lacerda, Paulo Banaco, Almeno Gonçalves, Luís Rendas Pereira, Paolo Vettori, Pedro Correia (Coro)

Salvador Sobral nos Coliseus

Salvador Sobral actua pela primeira vez em nome próprio nos Coliseus de Lisboa e Porto em Maio do próximo ano, dia 10, em Lisboa, e dia 11, no Porto. Trata-se do espectáculo de apresentação ao vivo do novo álbum, com edição prevista para  Março de 2019, e que também já tem data garantida em Faro, no Teatro das Figuras, a 3 de Maio. Os bilhetes estão disponíveis nos locais habituais.

Em 2017, Salvador Sobral foi o primeiro artista português a vencer o Eurovision Song Contest, que se realizou em Kiev, trazendo o título para Portugal com “Amar Pelos Dois”, canção que conquistou o país inteiro. Após a vitória, interpretou “Excuse Me”, o seu primeiro álbum, em quatro noites esgotadas no CCB, em Lisboa, e na Casa da Música, no Porto. Agora chegou o momento de subir aos palcos dos Coliseus, rodeado dos seus companheiros de sempre: Júlio Resende, no piano, André Rosinha, no contrabaixo, e Bruno Pedroso, na bateria.

Após o sucesso de “Excuse Me“, que se manteve nos lugares cimeiros do Top Nacional de Vendas desde a vitória na Eurovisão até ao fim do ano, Salvador Sobral prepara agora o seu sucessor. O aguardado novo álbum de originais será editado no primeiro trimestre de 2019, conhecendo-se por agora os dois primeiros singles, “Mano a Mano” e “Cerca del Mar”.

Após concluir a digressão nacional de 2018 e uma tour em Espanha, assistida por 13 mil espectadores, Salvador Sobral prepara em 2019 a estreia em salas icónicas de outros países, como a Polónia, Alemanha e Suíça ou Espanha, onde actua no Palau de Música Catalana, em Barcelona.

European Music Festival for Young People

EUROPEES MUZIEKFESTIVAL

We’re pleased to be able to extend our registration period for our 67th European Music Festival for Young People in Neerpelt, Belgium, enabling even more young ensembles to participate. The registration period is prolonged until November 19, 2018.

What once started off as a local music contest intending to stimulate youngsters to study music, has meanwhile become famous enough far beyond European borders to be an icon to children and youth ensembles.

From May 3 to May 6, 2019 an odd 100 children – and youth ensembles and about 4.000 youngsters up to the age of 28 from all corners of the world will get together in Neerpelt again, to participate at our 67th European Music Festival for Young People, an instrumental edition where young musicians can participate in 7 different categories and get an evaluation of their performance by an international renowned jury.

Those wanting to share their music, to discover eachother’s cultures, to celebrate a mega feast of joy, peace and friendship spiced up by musical highlights, certainly have to come to Neerpelt (Belgium).

Are you interested in participating at our 67th festival edition, are you looking for more information, are you eager to know what festival program will be offered, … feel free to check our festival website www.emj.be, where you can also find the regulations or to contact our festival office info@emj.be.

Sousa assistente de Gardiner

Português Dinis Sousa nomeado maestro assistente do britânico John Eliot Gardiner

Londres, 11 out (Lusa)

A nomeação de Dinis Sousa para maestro assistente do Coro Monteverdi e Orquestras “é uma honra enorme” porque formaliza o trabalho com o britânico John Eliot Gardiner, com quem já está em digressão nos EUA, afirmou o português.

“Não havia dúvidas sobre aceitar o lugar. É uma oportunidade única e que não sonhava que fosse sequer possível, portanto mal surgiu esta possibilidade fiquei logo muito entusiasmado e honrado com a proposta”, disse o músico portuense à agência Lusa.

A nomeação de Dinis Sousa, de 30 anos, para maestro assistente, uma posição que não existia, foi anunciada no início desta semana e considerada relevante por diversas publicações especializadas porque é a primeira vez que o comando do Coro Monteverdi e das duas orquestras associadas é partilhado pelo britânico desde a fundação, em 1964.

O grupo começou com o Coro Monteverdi, hoje considerado um dos melhores e mais versáteis do mundo, abrangendo obras que vão desde Monteverdi a Stravinsky, mas 13 anos mais tarde Gardiner criou a orquestra English Baroque Soloists para trabalhar com o Coro, usando instrumentos de época.

Em 1990, Gardiner fundou a Orchestre Révolutionnaire et Romantique para interpretar repertório romântico, também com instrumentos de época, começando por tocar e gravar música de Beethoven e Berlioz.

É com esta última orquestra que Dinis Sousa está atualmente em digressão nos EUA, onde está a apresentar dois programas inteiramente dedicados a Berlioz, tendo previstos dois concertos no Carnegie Hall de Nova Iorque, no domingo e na segunda-feira.

Ser assistente de John Eliot Gardiner é “muito especial” para o português, que se identifica com o trabalho dele, maestro que cresceu a escutar e começou a acompanhar de perto quando se mudou para Londres, para estudar Direção de Orquestra na Guildhall School of Music and Drama.

“Tentava ir assistir aos ensaios e aos concertos quando podia, e estes eram sempre uma inspiração para mim. Portanto, ter agora um trabalho regular com estes grupos é mesmo muito especial. Nos últimos tempos, tenho já trabalhado em alguns projetos com o Gardiner e isto tem sido uma curva de aprendizagem enorme e uma experiência absolutamente marcante”, disse à Lusa.

O regente português conta que, “além do repertório extraordinário, poder conviver e aprender com um músico deste nível, com a sua energia inesgotável, que está constantemente a explorar e a encontrar algo novo na música que todos já conhecemos tão bem, é algo que me tem influenciado imenso.

Na sua opinião, o maestro britânico, atualmente com 75 anos, é um dos mais importantes e marcantes da atualidade, que revolucionou a forma como se ouve e interpreta música de diferentes compositores, de diferentes épocas, tendo em conta os diferentes contextos históricos em que surgiu, e que produziu uma série de gravações consideradas de referência para músicos, apreciadores de música e para a história da interpretação, nos últimos 50 anos.

Gardiner, citado no comunicado do Coro Monteverdi e Orquestras, elogiou Dinis Sousa pelo seu “talento impressionante” e pela sua versatilidade, lembrando a colaboração numa “série de tarefas difíceis”, nomeadamente na assistência durante os ‘Proms’ de 2016 (o festival organizado anualmente pela BBC, em Londres), na produção de “Oedipus Rex”, ópera de Stravinsky, com a Filarmónica de Berlim, e em vários projetos com a Orquestra Sinfónica de Londres.

O português espera poder beneficiar da experiência e conhecimento do britânico para continuar com o próprio projeto da Orquestra XXI, que fundou em 2013 para realizar concertos de música clássica em Portugal, com músicos que residem e trabalham no estrangeiro.

“Trabalhar com o Gardiner é uma enorme ajuda, uma vez que ele está a par de todos os programas, e podemos discutir muito sobre as obras, o que é sempre uma estimulante aprendizagem para mim”, adiantou.

BM // MAG

Lusa/fim