Instrumentos musicais de Portugal

Pinhas, pinhocas ou pinhocras

Pinhas, o mesmo que pinhocas, ou pinhocras) é um idiofone de friccão utilizado em algumas regiões de Portugal composto por duas pinhas abertas. O executante segura cada uma em sua mão e raspa uma na outra ao ritmo da música tradicional, em geral música bailada.

Pinhas, pinhocas ou pinhocras
Pinhas, pinhocas ou pinhocras

Fonte: Terra Mater

[ Instrumentos musicais de Portugal ]
Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Pinhas

Pinhocras (pinhocas ou pinhas) é idiofone de friccão utilizado em algumas regiões de Portugal composto por duas pinhas abertas. O executante segura cada uma em sua mão e raspa uma na outra ao ritmo da música tradicional, em geral música bailada.

Pinhas, pinhocas ou pinhocras

Pinhas, pinhocas ou pinhocras

[ Instrumentos musicais de Portugal ]
Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Pinhocas, pinhocras ou pinhas

Pinhocas (pinhocras ou pinhas) é idiofone de friccão utilizado em algumas regiões de Portugal composto por duas pinhas abertas. O executante segura cada uma em sua mão e raspa uma na outra ao ritmo da música tradicional, em geral música bailada.

Pinhocas, pinhocras ou pinhas

Pinhocas, pinhocras ou pinhas

[ Instrumentos musicais de Portugal ]
Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Rouxinol em cerâmica

Rouxinol, também chamado passarinho, é um brinquedo musical de cerâmica em forma de pássaro com um bocal de insuflação que produz um som característico pelo borbulhar da água colocada no recipiente. Vende-se com frequência em feiras de artesanato e feiras ditas medievais.

Rouxinol, Portugal
Rouxinol, Portugal
Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Rouxinol, Portugal

Passarinho, ou rouxinol, é um brinquedo musical de cerâmica em forma de pássaro e instrumento da categoria dos aerofones, com um bocal de insuflação e uma saída de ar. Produz um som característico pelo borbulhar da água colocada no recipiente.

Rouxinol em cerâmica
Rouxinol em cerâmica
Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Castanhola da Tabua em forma de avião

Castanholas da Tabua designa um idiofone de madeira tradicional da Ilha da Madeira, especialmente de Ribeira Brava (freguesia da Tabua). “As castanholas da Tabua eram tocadas na época natalícia a caminho das missas do parto e do galo, e por altura das festas e romarias nos meses de verão, é na Tabua, freguesia pertencente ao concelho da Ribeira Brava, e em algumas zonas próximas, que estes instrumentos musicais possuem maior tradição

Era habitual na freguesia da Tabua, juntarem-se grupos de homens, aos Domingos ou à noite, para construírem castanholas com diferentes formas e dimensões, procurando inovar na forma de tocar e nos resultados acústicos obtidos, rivalizando entre si. Existiram dois grupos de tocadores rivais, que embora constituídos por elementos de diversas localidades, eram conhecidos popularmente por Grupo da Ribeira e Grupo dos Zimbreiros sendo muitas vezes o adro da igreja palco destes “despiques”.

Museus da Madeira

Na década de 40, do século passado, formou-se um grupo, a chamada “Requestra da Tábua”, que atuou em diferentes festividades, fazendo parte do cartaz de animação de alguns eventos, nomeadamente no Arraial de S. Pedro (Ribeira Brava) e na Festa das Vindimas (Funchal). Esta rivalidade terá incentivado a construção destes instrumentos, e estará provavelmente na origem do aparecimento de uma maior variedade morfológica, na Ribeira Brava e na Ponta do Sol, concelhos onde estes idiofones de percussão direta adquiriram características muito peculiares, como é o caso das castanholas com grandes dimensões, as castanholas com formas zoomórficas (galinhas ou cabeças de cão) ou o artefacto único, patente nesta exposição, da autoria de Alfredo Rodrigues Luzirão: o “avião de castanholas”. O seu autor, ainda jovem, juntou-se nos anos 40 ao grupo do seu sítio, tendo criado este original instrumento, um sucesso naquela época.

Nos anos 70, a pedido do Escultor António Rodrigues, produziu uma réplica, patente na “1ª Mostra de Instrumentos Musicais Populares” e que foi doada ao Museu Etnográfico da Madeira, pelo escultor, enriquecendo o seu acervo. Arlindo Lourenço, natural da Tabua, ainda se dedica à construção destes artefatos, mantendo viva a tradição. “

Fonte: Museus da Madeira (acesso a 16 de março de 2020)

Castanhola da Tabua em forma de avião
Castanhola da Tabua em forma de avião
Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Trancanholas de madeira e osso, de Orlando Trindade e Joaquim António Silva

Trancanholas é um idiofone de tradicional de Amarante e Baixo Douro, Portugal. Consiste em duas lâminas simétricas de madeira com 40 a 50 mm de largura e 115 mm de comprimento. São utilizadas de uma forma semelhantes às castanholas habituais e são tocadas normalmente pelos homens que dançam, em algumas festas do Norte de Portugal. Neste caso, as lâminas permitem uma execução com apenas uma das mãos, deixando a outra livre.

Conheça AQUI os produtos Meloteca!

Meloteca, recursos musicais criativos para crianças, professores e educadores

Meloteca, recursos musicais criativos para crianças, professores e educadores

As trancanholas da marca Missom são produzidas em diversas madeiras como Hard Maple, Hickory ou Ipê (por ordem crescente em densidade).

Trancanholas Missom

Trancanholas Missom

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Sarronca, Portugal

A sarronca é um instrumento musical tradicional, do tipo membranofone de fricção. É constituído por um cântaro de barro que funciona como caixa de ressonância, uma pele que tapa a boca do vaso e um elemento fricativo que consiste numa haste em cana ou madeira. O executante segura a sarronca debaixo de um dos braços em posição oblíqua e fricciona a membrana com movimentos lineares. Por ação do executante, a haste trespassa a pele e coloca-a em vibração produzindo um som grave, uma espécie de ronco. A membrana pode ser feita de pele de ovelha, carneiro, cabra, cabrito, coelho. É conhecida por diferentes nomes, com materiais diversos, de acordo com a zona onde é feita. Roncadeira, zabumba, zamburra, zurra-burros e ronca são outros termos portugueses para o mesmo membranofone de fricção.

Há sarroncas cujo elemento fricativo não é uma haste mas uma corda esticada. O instrumento é utilizado por grupos folclóricos. Acompanha canções de reis e janeiras, e ouve-se também pelo Carnaval. Em 2020, a ronca de Elvas teve vasta divulgação nacional através da RTP por ter sido candidata às 7 Maravilhas da Cultura Popular.

Sarronca, membranofone de fricção português, José Gavino

José Gavino tocando sarronca

[ Instrumentos Musicais de Portugal ]
Partilhe
Share on Facebook
Facebook