Instrumentos musicais de Portugal

Apito de amolador, Portugal

Apito de amolador (gaita de amolador, ou flauta de amolador) é um instrumento do tipo aerofone, da família das flautas de Pã utilizado tradicionalmente pelos capadores e afiadores de facas e tesouras de Portugal que, tocando, se faziam anunciar aos clientes.

[ Instrumentos musicais de Portugal ]

[ Flautas de pã ]

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Guitarra portuguesa, modelo Lisboa, Portugal

 

Guitarra portuguesa é um cordofone em forma de pera, cuja origem está ligado ao cistro renascentista e, mais proximamente, à guitarra inglesa English Guitar.

Universidade de Aveiro

O cistro foi instrumento dos jograis da época medieval, mas no renascimento torna-se um instrumento popular, com uma existência que vai até aos finais do séc. XVIII. O mais famoso cistro foi construído pelo violeiro italiano Girolamo di Virchi, da cidade de Brescia, em 1574, para o Arquiduque Ferdinando do Tirol, hoje património do Museu Kunsthistorisches instalado no Palácio de Hofburg, em Viena.

Nos meados do séc. XVIII, surge na cidade do Porto a English Guitar, trazida pela colónia de comerciantes ingleses que aqui se estabelece. Trata-se de um instrumento periforme da família do cistro, encorporando características estruturais e acústicas bem diferenciadas do seu antecessor. Torna-se popular entre nós, ao ponto do mestre de capela da Sé do Porto, António da Silva Leite, lhe dedicar o método “Estudo de guitarra”, no ano de 1796. No início do séc. XIX, entra em declínio na pátria de origem.

Portugal é o único herdeiro deste instrumento, o qual recebe transformações diversas até chegar à guitarra portuguesa, hoje instrumento nacional.

Apesar da inexistência de registos históricos precisos, acredita-se que o processo de diferenciação entre a guitarra de Coimbra e a de Lisboa remonta ao início do séc. XX.

A guitarra de Coimbra apresenta uma caixa harmónica mais longa e mais estreita, um comprimento de corda maior, afinação um tom abaixo da de Lisboa e, como símbolo emblemático, a cabeça terminada geometricamente em forma duma lágrima, sendo largamente divulgada pelo facto de acompanhar o canto do fado de Coimbra.

A guitarra de Lisboa, que acompanha o fado de Lisboa, é mais curta e mais larga, vulgarmente muito decorada com figuras de madrepérola, e tem como símbolo emblemático a cabeça terminada com uma voluta, por vezes chamada caracol.

Universidade de Aveiro
Guitarra portuguesa, modelo Lisboa, Portugal

Guitarra portuguesa, modelo Lisboa, Portugal


[ Instrumentos musicais de Portugal ]
Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Cavaquinho, Portugal
Guitarra portuguesa, modelo Lisboa, Portugal
Guitarra portuguesa, modelo Lisboa, Portugal
Cavaquinho, Portugal
Cavaquinho, Portugal
Grilinho
Grilinho, Madeira, Portugal
Machete e viola francesa, de postal ilustrado, Portugal, Madeira, Funchal, c. século XX
Machete e viola francesa, de postal ilustrado, Portugal, Madeira, Funchal, c. século XX
Brinquinho, Madeira, Portugal
Brinquinho, Madeira, Portugal
Búzio
Búzio, Madeira, Portugal
Sarronca, José Gavino, Barrancos, Portugal
Sarronca, José Gavino, Barrancos, Portugal
Rouxinol em cerâmica
Rouxinol em cerâmica
Sarronca, Portugal
Sarronca, Portugal
Adufeira com adufe
Adufe
Braguinha, Madeira, Portugal
Braguinha, Madeira, Portugal
Tréculas, foto Rosas do Lena
Tréculas, Rosas do Lena
Bandurra ou viola beiroa
Bandurra
Viola de São Miguel, Açores
Viola de arame
Viola de arame da Madeira
Trancanholas Missom
Trancanholas Missom
Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Rabel medieval

Rabel é um instrumento de corda friccionada – frequente no Norte da Península Ibérica – que remonta à Idade Média.

Rabel em Espanha

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Rabeca chuleira (ramaldeira, rabela)

Rabeca chuleira é um cordofone friccionado tradicional português, uma espécie de violino de braço mais curto que afina uma oitava acima.

[ Instrumentos musicais de Portugal ]
Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Caninha

Caninha, cana rachada, ou castanhola de cana rachada, é um instrumento tradicional português, um idiofone tocado na região da Lezíria Ribatejana e outras regiões para acompanhar ritmos e danças.

[ Instrumentos musicais de Portugal ]
Partilhe
Share on Facebook
Facebook

Grilinho é um pequeno idiofone tradicional da Ilha da Madeira muito utilizado por ranchos folclóricos. Começou por ser um brinquedo sonoro feito de casca de noz pelos pais para as crianças. Passou depois a ser feito de tronco de canavieira. Cortado ao meio, mele se corta uma abertura e se fixa de modo flexível uma palheta da mesma cana. O som é produzido pela palheta que se pressiona e solta batendo na extremidade oposta.

[ Instrumentos musicais de Portugal ]
Partilhe
Share on Facebook
Facebook

Flauta pastoril é um instrumento de sopro de formato tubular feito de cana, com três orifícios e tocada por uma só mão sendo que a outra mão toca um pequeno membranofone chamado tamboril.

[ Instrumentos musicais de Portugal ]
Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Ferrinhos, ou triângulo

Ferrinhos é o termo popular para “triângulo”, idiofone metálico de percussão direta que hoje faz parte da secção de percussão da orquestra. Consiste num ferro em forma triangular, aberto, no qual se bate com um pequeno ferro. É suspenso de um fio e, enquanto uma mão sustenta o triângulo, a outra faz a percussão. Tem-se conhecimento do instrumento desde o século XIV.

[ Instrumentos musicais de Portugal ]
Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Pedras de percussão

Pedras são um instrumento natural do tipo idiofone de concussão constituído por duas pedras que entrechocam nas mãos do executante. O uso destas pedras (devidamente selecionadas pelo som e a forma) acontece em vários países, incluindo Portugal e Espanha, designadamente em grupos etnográficos.

[ Instrumentos Musicais de Portugal ]
Partilhe
Share on Facebook
Facebook