Instrumentos musicais do continente asiático

Rik, instrumento de percussão de membrana com soalhas, árabe

O mesmo que riq ou riqq, rik é um instrumento de percussão de membrana com soalhas, que acompanha a música tradicional e a música clássica árabes. Unimembranofone com origem no daf persa, mede entre 20 e 25 cm de diâmetro e 5 cm de profundidade, e é geralmente dotado de 10 pares de soalhas. Faz parte do tradicional agrupamento arábico conhecido por takht, que inclui quatro instrumentos melódicos (oud, nay, qanun e violino) e um instrumento de percussão (riq, por vezes substituído pela tabla). Na primeira metade do século XX, era o único instrumento de percussão que fazia parte dos agrupamentos de música árabe. Na segunda metade do século XX, foram introduzidos outros instrumentos, como a tabla.

[ Instrumentos musicais árabes ]
Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Flower pot drum, tambor em forma de vaso, China

Flower pot drum é a designação inglesa para uma subcategoria de tambores unimembranofones, em forma de vaso, existentes na China e outros países.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Bofu, tambor bimembranofone em forma de barril, China, Hangzhou,1870

Bofu é um tambor bimembranofone em forma de barril tradicional da China.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Poorra, jori, Índia

Poorra é um dos dois membranofones que integram o jori, instrumento tradicional indiano. Poorra é o instrumento menor que fica à direita do percussionista, num registo mais agudo que o dhamma.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Jori, duplo membranofone, Índia

Jori é um duplo membranofone tradicional da Índia, composto pelo dhamma, à esquerda, e o poorra, colocado à direita.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Dhama, jori, Índia

Dhama, ou dhamma, é um membranofone tradicional da Índia, o primeiro tambor do jori, juntamente com o poorra. Tem um som mais grave e poderoso. Normalmente está do lado esquerdo do percussionista e é tocado com a mão esquerda.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Yang ch'in, China

Yang ch’in (o mesmo que yangqin ou yang quin), é um dulcimer percutido chinês, em forma trapezoidal, derivado do santur iraniano.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Rebana, tambor em forma de vaso, Malásia

Rebana (ou terbangen) é um membranofone de mão da família das pandeiretas, tradicional da Malásia. É tocado em música devocional islâmica do Sudeste Asiático, especialmente na Indonésia, Malásia, Brunei e Singapura. Tem o nome de rabana no Sri Lanka.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Beigehu, diyingehu, China

Beigehu, o mesmo que diyingenhu, é um cordofone de arco chinês da família huqin. Foi desenvolvido por Yang Yusen no século XX. Tem quatro cordas e é o correspondente chinês do contrabaixo.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Debakan, tambor de forma de cálice tradicional das Filipinas

Debakan, dbakan, dabakan (entre o povo Maguindanao), dadabuan e dadaboon (povo Maranao), libbit (povo Tausug), tibubu (povo Poso), tiwal (povos Kulawi e Minahasa) são diversos termos para um tambor unimembranofone, com corpo de madeira em forma de taça, tradicional das Filipinas.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook