Instrumentos musicais do continente africano

Cimboa, cordofone de arco, Cabo Verde

Cimboa (ou cimbó) é um cordofone de arco originário de Cabo Verde tradicionalmente usado para acompanhar as danças de batuque. É constituído pelo instrumento propriamente dito e um arco. O instrumento possui um braço ligado a uma caixa de ressonância. A caixa é feita a partir de uma cabaça, ou quando esta é difícil de encontrar, de coco, com um tampo harmónico de pele de cabrito esticada, fixa através de varetas de caniço. A partir da caixa sai um braço fabricado com uma madeira flexível. Na extremidade do braço encontra-se uma cravelha de mogno para afinar a única corda do instrumento, que está tendida entre uma pestana incrustada no braço e um cavalete situado sobre o tampo harmónico. O som é obtido friccionando o arco sobre a corda feita de crina de cavalo. O arco é feito de uma peça de madeira encurvada e de uma corda, também ela de crina, untada de breu. A altura das notas é conseguida pressionando a corda em diversos pontos do braço, mas o facto de o braço ser flexível torna possível obter mudanças na altura das notas arqueando o braço. Sobre a origem exacta do instrumento pouco se sabe, a não ser que veio da África continental. No entanto foi assinalada a semelhança da cimboa com instrumentos africanos situados a milhares de quilómetros de distância, entre os quais o kiki dos dazas do Tibesti e de Borcu, o nini dos zagauas, o fini dos canembus, e ainda o kiki dos mabas da região de Uadai. Embora tenha ressurgido a construção deste instrumento, atualmente ele é mais utilizado como peça decorativa, e não como instrumento musical que se use.

Ferrinho, Gino Branco, Cabo Verde

Ferrinho é um idiofone tradicional de percussão direta de São Tomé e Príncipe (África) que não ultrapassa 25 cm, constituído por um chapa de zinco e dois ferros.

Adeudeu, harpa, Quénia

Adeudeu (como adungu) é uma harpa arqueada tradicional do Quénia (África).

Arghoul, Egito

Arghoul é um aerofone de palheta simples constituído por dois tubos, muito frequente no Egipto, Palestina e Norte de África. Remonta ao Antigo Egito. Aparece com outras grafias: arghul, argul, arghool, argol.

Gungon-nu, membranofone, Gana

Gungon-nu é um tambor unimembranofone de grande de som grave tradicional do Gana.

Kebaro, tambor, Etiópia

Kebaro (kabaro, ou kebero) é um unimemembranofome ou bimembranofone de percussão direta tradicional da Etiópia, percutido com ambas as mãos.

Ebinyege, Uganda

Ebinyege, ou binyege, é um idiofone de perna tradicional do Uganda, feito de frutos secos com sementes dentro usados por homens nas pernas para produzir ritmos.

Kidi, Chade

Kidi é um membranofone cilíndrico ou cónico tradicional do Chade, também chamado “blacksmith’s drum” (porque o blacksmith é o único que toca o kidi).

Kabaro, Etiópia

Kabaro (kebaro, ou kebero) é um unimemembranofome ou bimembranofone de percussão direta tradicional da Etiópia, percutido com ambas as mãos.

Mezoued, gaita de fole, Tunísia

Mezoued (mizwad ou mizwid) é um aerofone da família das gaitas de foles tradicional da Tunísia (norte de África). Consiste em um saco de couro – com um duplo ponteiro – que remata em dois chifres de vaca.