Santa Bárbara

Acorda, cristão

[ Encomendação das Almas ]

Acorda, cristão, que és terra!
Lembra-te que hás-de…
Lembra-te que hás-de morrer!
Hás-de dar estreitas contas
Do teu bom e mau…
Do teu bom e mau viver!

Não sei que p’ra ali ouvi
Para os lados do…
Para os lados do Nascente;
Eram as benditas almas,
Estão no fogo…
Estão no fogo ardente.

Acorda, cristão, acorda
Desse sono em…
Desse sono em que estais!
Lembra-te das benditas almas
Que elas clamam…
Que elas clamam e dão ais!

Acorda, cristão, acorda
Desse sono tão…
Desse sono tão profundo!
Lembra-te das benditas almas
Que já estão no…
Que já estão no outro mundo!

Rezemos um padre-nosso
Com uma ave…
Com uma ave-maria!
Seja por o amor de Deus.

Acorda, cristão, acorda!

Letra e música: Tradicional (S. Miguel, Guarda, Beira Alta)
Intérpretes: César Prata e Sara Vidal (in CD “Cantos da Quaresma”, Sons Vadios, 2018)

À porta das almas santas

[ Devoção das Almas ]

À porta das almas santas
Bate Deus a toda a hora.
As almas responderam:
«— Ó meu Deus, que quereis agora?»
«— Queremos que deixais o mundo;
Vinde já para a Glória!»
Ajoelhemos nós em terra,
Já não somos os primeiros.
Em nossa companhia anda
Jesus Cristo verdadeiro.
Ó Virgem da Piedade,
À devoção nos obriga;
Rezemos às almas santas,
Rezemos com alegria.
Atormenta a dor e dor
Do contínuo padecente.
Assim são as benditas almas
No Purgatório ardente.
Ouvi homens e mulheres
Deste povo auditório,
Dai esmola se pudéreis
Às almas do Purgatório.
Dai esmola se pudéreis,
Se com devoção a dais;
Já lá tendes vossas mães,
Vossos filhos e vossos pais.
Esses bens que possuirdes
Reparti-os em vossa vida;
Lá os achareis na Glória
Quando fordes na partida.
Aqui estamos de joelhos
A rezar a oração:
Ou nos venham dar a esmola
Ou de Deus venha o perdão.

Letra e música: Tradicional (Oliveirinha, Aveiro, Beira Litoral)
Recolha: Michel Giacometti (in LP “Beira Alta, Beira Baixa, Beira Litoral”, série “Antologia da Música Regional Portuguesa”, Arquivos Sonoros Portugueses/Michel Giacometti, 1970; 5CD “Portuguese Folk Music”: CD 3 – Beiras, Strauss, 1998; 6CD “Música Regional Portuguesa”: CD 4 – Beiras, col. Portugal Som, Numérica, 2008)
Intérpretes: César Prata e Sara Vidal (in CD “Cantos da Quaresma”, Sons Vadios, 2018)

Ai lá em cima

[ Martírios do Senhor ]

Ai lá em cima ao Calvário
Ai está um craveiro à Cruz;
Ai a água com que se rega
Ai é o sangue de Jesus.

Ai ó almas que tendes sede,
Ai vir ao Calvário a beber!
Ai que estão lá as cinco fontes
Ai todas cinco a correr.

Ai a Senhora chora, chora,
Ai chora que se ouve no adro,
Ai de ver o seu Filho morto,
Ai no caixão amortalhado.

Ai a Senhora chora, chora,
Ai chora que se ouve na rua,
Ai de ver o seu Filho morto,
Ai deitado na sepultura.

Ai a Senhora está de luto
Ai por estas sete semanas,
Ai que lhe morreu o seu Filho,
Ai filho das suas entranhas.

Letra e música: Tradicional (Zebreira, Idanha-a-Nova, Beira Baixa)
Intérpretes: César Prata e Sara Vidal* (in CD “Cantos da Quaresma”, Sons Vadios, 2018)

Com o Grande Peso da Cruz

Com o grande peso da Cruz
Quis Deus ser enfraquecido;
E com ela aqui caído
Jaz em terra o bom Jesus.

Procuraram levantar
Pela corda Lhe tirando;
Em se Ele levantando
Parece querer expirar.

Glória seja ao Pai!
Glória ao Filho juntamente!
Glória ao Espírito Santo
Que de ambos é procedente!

Letra e música: Tradicional (Proença-a-Velha, Idanha-a-Nova, Beira Baixa)
Intérpretes: César Prata e Sara Vidal (in CD “Cantos da Quaresma”, Sons Vadios, 2018)

E à porta das almas santas

[ Encomendação das Almas ]

E à porta das almas santas
Bate Deus a toda a hora,
Deus a toda a hora.

E as almas de lá respondem:
«— E ó meu Deus, que quereis agora?
Meu Deus, agora?»

«— Quero que venhais comigo
Para a minha eterna Glória!
Minha eterna Glória!

P’ra a companhia dos anjos
Mais a Virgem que Me adora!
Virgem que Me adora!»

E acordai se estais dormindo
Nesse sono tão profundo!
Sono tão profundo!

Rezemos um padre-nosso
Às almas do outro mundo!
Do outro mundo!

Letra e música: Tradicional (Idanha-a-Nova, Beira Baixa)
Intérpretes: César Prata e Sara Vidal (in CD “Cantos da Quaresma”, Sons Vadios, 2018)

Já Apareceu a Aleluia

[ Aleluia da Festa das Rosas ]

Já apareceu a Aleluia.
Quem a achou? Quem a acharia?
Achou-a o senhor vigário
No sacrário de Maria.

Desde a porta da igreja
Até à torre do sino
Vamos dar as boas-festas
Ao sacramento divino!

Desde a porta da igreja
Até à da sacristia
Vamos dar as boas-festas
À Virgem Santa Maria!

Aleluia! Aleluia!
Aleluia! Já é festa.
Alegrai-vos, Mãe de Deus:
Nossa alegria é esta!

Não há Senhora mais linda
Do que é a do Almurtão:
Tem o seu amado Filho
Ao lado do coração.

Eu hei-de ir à festa,
Hei-de lá ficar:
Tenho uma promessa,
Quero-la pagar.
Eu hei-de ir à festa,
Hei-de lá dormir:
Tenho uma promessa,
Quero-la cumprir.

Letra e música: Tradicional (“Aleluia da Festa das Rosas” – Monsanto, Idanha-a-Nova, Beira Baixa / “Já Apareceu a Aleluia” – Idanha-a-Nova, Beira Baixa)
Intérpretes: César Prata e Sara Vidal* (in CD “Cantos da Quaresma”, Sons Vadios, 2018)

* César Prata – voz, guitarra, kalimba, sanfona, hangdrum, ponteiro, adufe, matracas, percussões, shruti box, programações
Sara Vidal – voz, harpa celta, adufe
Arranjos – César Prata e Sara Vidal
Produção musical – César Prata e Sara Vidal
Gravado no estúdio RequeRec, Trancoso, em Novembro de 2017
Gravação, mistura e masterização – César Prata

Já pedem nas almas santas

[ As Excelências da Virgem ]

Já pedem nas almas santas
Que uma excelência lhe havemos de rezar,
À Senhora do Rosário,
Ao seu Santo Saclário.
Saclário já está aberto:
O Senhor saiu fora
Acompanhar uma alma
Que vai p’ra a Glória.

Já pedem nas almas santas
Que duas excelências lhe havemos de rezar,
À Senhora do Rosário,
Ao seu Santo Saclário.
Saclário já está aberto:
O Senhor saiu fora
Acompanhar uma alma
Que vai p’ra a Glória.

Já pedem nas almas santas
Que três excelências lhe havemos de rezar,
À Senhora do Rosário,
Ao seu Santo Saclário.
Saclário já está aberto:
O Senhor saiu fora
Acompanhar uma alma
Que vai p’ra a Glória.

Já pedem nas almas santas
Que quatro excelências lhe havemos de rezar,
À Senhora do Rosário,
Ao seu Santo Saclário.
Saclário já está aberto:
O Senhor saiu fora
Acompanhar uma alma
Que vai p’ra a Glória.

Já pedem nas almas santas
Que cinco excelências lhe havemos de rezar,
À Senhora do Rosário,
Ao seu Santo Saclário.
Saclário já está aberto:
O Senhor saiu fora
Acompanhar uma alma
Que vai p’ra a Glória.
Que vai p’ra a Glória,
Que vai p’ra a Glória,
Que vai p’ra a Glória.

Letra e música: Tradicional (Alcoutim, Algarve)
Recolha: Michel Giacometti (in LP “Algarve”, série “Antologia da Música Regional Portuguesa”, Arquivos Sonoros Portugueses/Michel Giacometti, 1962; 5CD “Portuguese Folk Music”: CD 5 – Algarve, Strauss, 1998; 6CD “Música Regional Portuguesa”: CD 6 – Algarve, col. Portugal Som, Numérica, 2008)
Intérpretes: César Prata e Sara Vidal (in CD “Cantos da Quaresma”, Sons Vadios, 2018)

Louvado no Sisso

Louvado no Sisso, meu Senhor Jesus Cristo,
Bendita seja a Vossa vinda!
Paixão e morte,
Bendito seja o Vosso sangue
(Que) Por nós derramásteis,
Pelo Vosso santo pé direito!

Louvado no Sisso, meu Senhor Jesus Cristo,
Bendita seja a Vossa vinda!
Paixão e morte,
Bendito seja o Vosso sangue
(Que) Por nós derramásteis,
Pelo Vosso santo pé esquerdo!

Louvado no Sisso, meu Senhor Jesus Cristo,
Bendita seja a Vossa vinda!
Paixão e morte,
Bendito seja o Vosso sangue
(Que) Por nós derramásteis,
Pelo Vosso santo joelho direito!

Louvado no Sisso, meu Senhor Jesus Cristo,
Bendita seja a Vossa vinda!
Paixão e morte,
Bendito seja o Vosso sangue
(Que) Por nós derramásteis,
Pelo Vosso santo joelho esquerdo!

Louvado no Sisso, meu Senhor, Jesus Cristo,
Bendita seja a Vossa vinda!
Paixão e morte,
Bendito seja o Vosso sangue
(Que) Por nós derramásteis,
Pela Vossa santa mão direita!

Louvado no Sisso, meu Senhor, Jesus Cristo,
Bendita seja a Vossa vinda!
Paixão e morte,
Bendito seja o Vosso sangue
(Que) Por nós derramásteis,
Pela Vossa santa mão esquerda!

Estais Senhor fruto
Do ventre sagrado
Da Virgem Puríssima
Santa Maria!

Letra e música: Tradicional (Penha Garcia, Idanha-a-Nova, Beira Baixa)
Intérpretes: César Prata e Sara Vidal* (in CD “Cantos da Quaresma”, Sons Vadios, 2018)

Lua benta

[ Benzedura da Lua ]

Lua benta, por aqui passaste
E a cor de Maria levaste,
E a tua por aqui deixaste,
E a tua por aqui deixaste.

Lua benta, torna a passar!
E a tua cor hás-de levar,
E a de Maria deves deixar.
E a de Maria deves deixar.

Lua benta, por aqui passaste
E a cor de Maria levaste
E a tua por aqui deixaste,
E a tua por aqui deixaste.

Lua benta, torna a passar!
E a tua cor hás-de levar
E a de Maria deves deixar,
E a de Maria deves deixar!

Letra: Oração tradicional
Música: César Prata
Arranjo: César Prata e Vânia Couto
Intérprete: César Prata e Vânia Couto
Versão original: César Prata e Vânia Couto (in CD “Rezas, Benzeduras e Outras Cantigas”, Sons Vadios, 2019)

Nome de Maria

Nome de Maria,
Que tão lindo é:
Salvai a minh’alma
Que ela Vossa é!

Que ela Vossa é,
Sempre o há-de ser!
Salvai a minh’alma
Quando eu morrer!

Quando eu morrer,
Quando eu acabar
Salvai a minh’alma
Para um bom lugar!

Para um bom lugar,
Dia de Juízo,
Salvai a minh’alma
Para o Paraíso!

Para o Paraíso,
Senhora das Dores,
Rainha dos anjos,
Mãe dos pecadores!

Mãe dos pecadores,
Numa boa hora
Salvai a minh’alma
P’ra o Reino da Glória!

Letra e música: Tradicional (Zebreira, Idanha-a-Nova, Beira Baixa)
Intérpretes: César Prata e Sara Vidal (in CD “Cantos da Quaresma”, Sons Vadios, 2018)

Ó Virgem dos Altos Céus

[ Dança das Oito Virgens ]

[Dança das oito virgens em honra

de Nossa Senhora dos Altos Céus:]

Ó Virgem dos Altos Céus,
Mãe do meu amparo, bem,
Conservai na vossa graça
Quem aqui visitar-vos vem!

Quem aqui visitar-vos vem
Com silêncio há-de vir;
Nós estamos aos vossos pés
Prontas para vos servir.

Prontas para vos servir
Do íntimo do coração;
Se não estamos purificadas,
Ó Virgem, dai-nos perdão!

Ó Virgem, dai-nos perdão
Ao nosso povo primeiro!
Sois Mãe de Misericórdia,
Perdoai ao mundo inteiro!

Perdoai ao mundo inteiro,
A toda a família em geral!
Fazei que em todo o mundo
Tenham o vosso sinal!

Tenham o vosso sinal;
Mãe da Glória, Imperatriz,
Conservai na vossa graça
Este nosso juiz!

Este nosso juiz
E todo o mundo inteiro;
Conservai na vossa graça
Este nosso tesoureiro!

Este nosso tesoureiro
E todo o fiel cristão;
Conservai na vossa graça
Este nosso escrivão!

Este nosso escrivão
E quem for do nosso partido;
Nós queremos continuar
Com o nosso uso antigo.

Com o nosso uso antigo
Pela graça do Senhor,
Vivam as oito donzelas
E o nosso tocador!

[Dança das oito virgens em honra

de Nossa Senhora dos Altos Céus:]

Ó Virgem dos Altos Céus,
Mãe do meu amparo, bem,
Conservai na vossa graça
Quem aqui visitar-vos vem!

Quem aqui visitar-vos vem
Com silêncio há-de vir;
Nós estamos aos vossos pés
Prontas para vos servir.

Prontas para vos servir
Do íntimo do coração;
Se não estamos purificadas,
Ó Virgem, dai-nos perdão!

Ó Virgem, dai-nos perdão
Ao nosso povo primeiro!
Sóis Mãe de Misericórdia,
Perdoai ao mundo inteiro!

Perdoai ao mundo inteiro,
A toda a família em geral!
Fazei que em todo o mundo
Tenham o vosso sinal!

Tenham o vosso sinal;
Mãe da Glória, Imperatriz,
Conservai na vossa graça
Este nosso juiz!

Este nosso juiz
E todo o mundo inteiro;
Conservai na vossa graça
Este nosso tesoureiro!

Este nosso tesoureiro
E todo o fiel cristão;
Conservai na vossa graça
Este nosso escrivão!

Este nosso escrivão
E quem for do nosso partido;
Nós queremos continuar
Com o nosso uso antigo.

Com o nosso uso antigo
Pela graça do Senhor,
Vivam as oito donzelas
E o nosso tocador!

Letra e música: Tradicional (Lousa, Castelo Branco, Beira Baixa)
Recolha: Ernesto Veiga de Oliveira / GEFAC
Intérprete: Macadame* (in Livro/CD “Firmamento”, Macadame, 2016)

Recordai, nobres senhores

[ Encomendação das Almas ]

— Recordai, nobres senhores,
Nesse sono tão profundo!
— Ouvirás vozes e clamores
Das almas do outro mundo.
— Cristandade tão unida
Ouvindo gritos e ais…
— Lá tem Deus na outra vida
Nossas mães e nossos pais.
— Tenham dó e compaixão
Daquela sentida voz!
— De repente para nós
As almas que em pena estão
Dos nossos pais e avós…
— ‘Tão rogando a vossos pais
Toda a noite e todo o dia;
— ‘Tão postos em agonia
Vendo que lhe não rezais
Sequer uma ave-maria.

— Ó tão tristes pecadores
Ouvindo tristes gemidos…
— Das almas estão em clamores
Dando gritos tão sentidos;
— Gritam contra os seus herdeiros
Pelos bens que lhes deixaram;
— Gritam contra os seus amigos
Que cá deixaram no mundo,
— Pois foi tal o seu descuido
Sendo vivos mas não dizendo,
Dá-me a mão que eu vos ajudo.
— Muito mal faz que(m) (d)esperdiça
Das almas a divação,
— Sendo das almas irmãos
Vamos-lhe ouvir uma missa,
Dou-lhe esta consolação.
— Desta sorte se consolam
As almas dos nossos pais;
— Uma missa que lhe ouvimos
E um pouco que lhe rezais;
— Fazes uma grande esmola
Porque vós nem meia dais.

Letra e música: Tradicional (Monte de Cabaços, Alcoutim, Algarve)
Recolha: Michel Giacometti (“Oração das Almas”, in LP “Algarve”, série “Antologia da Música Regional Portuguesa”, Arquivos Sonoros Portugueses/Michel Giacometti, 1962; LP “Cantos Religiosos Tradicionais Portugueses”, Philips, 1971; 5CD “Portuguese Folk Music”: CD 5 – Algarve, Strauss, 1998; 6CD “Música Regional Portuguesa”: CD 6 – Algarve, col. Portugal Som, Numérica, 2008)
Intérpretes: César Prata e Sara Vidal (in CD “Cantos da Quaresma”, Sons Vadios, 2018)

Santa Bárbara bendita

[ Oração a Santa Bárbara ]

Santa Bárbara bendita,
Que no céu estás escrita
Com papel e água benta,
Abrandai esta tormenta!

Que não haja pão, nem vinho,
Nem flor de rosmaninho,
Nem galo que cante,
Nem galinha que cacareje!

Santa Bárbara bendita,
Que no céu estás escrita
Com papel e água benta,
Abrandai esta tormenta!

Que não haja pão, nem vinho,
Nem flor de rosmaninho,
Nem galo que cante,
Nem galinha que cacareje!

Santa Bárbara bendita,
Que no céu estás escrita
Com papel e água benta,
Abrandai esta tormenta!

Santa Bárbara!
Santa Bárbara!
Santa Bárbara!
Santa Bárbara!
Santa Bárbara!

Santa Bárbara bendita,
Que no céu estás escrita
Com papel e água benta,
Abrandai esta tormenta!

Que não haja pão, nem vinho,
Nem flor de rosmaninho,
Nem galo que cante,
Nem galinha que cacareje!

Letra: Oração tradicional
Música: César Prata
Arranjo: César Prata e Vânia Couto
Intérprete: César Prata e Vânia Couto
Versão original: César Prata e Vânia Couto (in CD “Rezas, Benzeduras e Outras Cantigas”, Sons Vadios, 2019)

Santa Barburinha bendita

[ Bendito e Louvado das Trovoadas ]

— «Santa Barburinha bendita,
Livrai-nos das trovoadas!
Lev’as p’ra bem longe!

Santa Barburinha bendita,
Com um ramo de água benta
Arramai esta tormenta.»

Santa Bárbara pequenina
Se vestiu e se calçou,
Bordão na mão tomou.

— «Onde vais, Santa Barburinha,
Que no céu estais escrita?»
— «Eu vou p’ra bem longe!

Vou correr esta trovoada
Onde não há pão e vinho,
Nem bafo de menino!

Só a serpente e as sete filhas
Bebem leite de maldição
E água de trovão.»

Letra e música: Tradicional (Penha Garcia, Idanha-a-Nova, Beira Baixa)
Recolha: Ernesto Veiga de Oliveira
Intérprete: Segue-me à Capela
Primeira versão de Segue-me à Capela (in Livro/CD “San’Joanices, Paganices e Outras Coisas de Mulher”, Segue-me à Capela/Fundação GDA/Tradisom, 2015)

Santo António milagroso

[ Responso a Santo António ]

Santo António milagroso,
Filho de Deus poderoso,
Pelos hábitos que vestiste,
Pelos cordões que existem,
Pelos rosários que rezaste,
Pelos sagrados caminhos andaste,
Com Jesus Cristo te encontraste.
Jesus Cristo vos disse:
— «Beato Santo António, onde vais?»
— «Com Jesus quero ir.»
— «Comigo não virás. Na Terra ficarás.
E as coisinhas perdidas
Todas tu encontrarás.
Não morrerá mulher de parto,
Nem boizinho do arado,
Nem cavalo da estrebaria,
Quem disser esta oração:
Um pai-nosso e ave-maria.

E as coisinhas perdidas
Todas tu encontrarás.
Não morrerá mulher de parto,
Nem boizinho do arado,
Nem cavalo da estrebaria,
Quem disser esta oração:
Um pai-nosso e ave-maria.

Letra: Oração tradicional
Música: César Prata
Arranjo: César Prata e Vânia Couto
Intérprete: César Prata e Vânia Couto
Versão original: César Prata e Vânia Couto (in CD “Rezas, Benzeduras e Outras Cantigas”, Sons Vadios, 2019)

0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *