Limões e hortelã

As “Canções para Sentir” nascem em contexto de pandemia para famílias com crianças portadoras de deficiência. Propõem atividades originais e acessíveis que podem melhorar o bem-estar dos educandos, promover o desenvolvimento e fomentar as relações entre pais e filhos. Podem ser realizadas com crianças sem NEE, tanto em casa como na escola, nº 1º Ciclo e Jardim de Infância.

António José Ferreira

Nas crianças com (multi)deficiência, tal como nos bebés, o tato e o olfato devem ser muito valorizados. Os familiares e educadores devem ter em conta as portas de acesso ao mundo de que a criança dispõe. Se a criança não tem visão, se não ouve, se não fala, o adulto tem um desafio pela frente no sentido de valorizar as capacidades da criança.

Dá-me

Esta canção pode ser recitada de forma teatral e criativa, ou com duas notas. Se a criança entender as palavras, mesmo que não acompanhe o texto, pode vocalizar; ou bater palmas; ou percutir com uma colher de pau num tupperware.

O adulto favorece a fruição do abraço, do beijinho, da mão e do toque.

Oiça a melodia AQUI.

Dá-me,
dá-me um abraço,
forte como um laço,
forte como um laço.
Um abraço!

Dá-me,
dá-me um beijinho,
cheio de carinho,
cheio de carinho.
Um beijinho!

Dá-me,
dá-me a tua mão,
sente o coração,
sente o coração.
Tua mão!

Dá-me,
dá-me uma bola,
p’ra jogar na escola,
p’ra jogar na escola.
Uma bola!

Antonio José Ferreira

Limão

Para crianças com certas deficiências, é especialmente importante envolver na música sentidos que a ela muitas vezes não estão ligados.

Seja verde ou amarelo,
que bem cheira o limão.
Se o agarro fica logo
perfumada a minha mão.

António José Ferreira

Oiça a melodia em MIDI.

O adulto entrega à criança um limão e ela experimenta o limão, a cor, forma, a textura (rugosidade), o cheiro, conforme as suas capacidades. Aproveita a oportunidade para cheirar a mão da criança, colocar a mão na sua face, criando momentos de brincadeira e bem-estar.

Se a criança fala, repete os versos, um de cada vez; em seguida, dois a dois; finalmente os quatro versos. Neste caso, improvisam como se cantassem em teatro musical. Se a criança não fala, o adulto proporciona à criança experiências auditivas, tácteis e olfativas.

Mãos bem lavadas

Molha as mãos, molha as mãos,
Bem molhadas, bem molhadas.
Esfrega as tuas mãos, esfrega as tuas mãos,
bem esfregadas, bem esfregadas.

Com a música de “Frère Jacques” , o adulto canta o texto com andamentos e timbres diferentes. Depois lava bem as mãos da criança com sabão durante 40 segundos, envolvendo os sentidos, enquanto improvisa sobre a canção.

Oiça a melodia AQUI.

Rosas

Seja branca ou vermelha,
é a rosa a minha flor.
Tem espinhos, tem perfume,
vou dar-te uma, meu amor.

Amarela ou cor de rosa,
é a minha flor preferida.
Uma é para a minha avó,
outra para a mãe querida.

António José Ferreira

Oiça a melodia AQUI.

O adulto colhe uma rosa, se possível, com a criança, sentindo o perfume, vendo se há algum inseto, verificando os botões e as flores abertas, o caules espinhoso e as folhas. Se aplicável, a criança diz um verso, ou dois, depois quatro. Cantam com uma melodia conhecida como “As pombinhas da Cat’rina”. Se a criança não fala, o adulto recita e canta em andamentos e com timbres diferentes fazendo sentir à criança a cor, textura e cheiro do botão ou da rosa aberta.

Clique AQUI para adquirir recursos Meloteca.

0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *