Aranha

ARANHA, ANHA

[ Ladainha da aranha ]

Aranha, anha
tão muda e mole
teu fio da lua
soluça ao sol.

Aranha, anha
que ninguém ama
teu fio de lua
é a tua cama.

Aranha, anha
de noite e dia
teu fio de lua
ninguém o fia.

Aranha, anha
que o mundo mata
teu fio de lua
ninguém desata.

Matilde Rosa Araújo

É importante referir desde cedo junto das crianças a importância dos escritores e poetas e lembrá-los pelas suas estórias e poemas. Matilde Rosa Araújo (Lisboa, 20 de junho de 1921 – Lisboa, 6 de julho de 2010) foi uma escritora portuguesa especializada na literatura infantil. Entre muitas outras obras escreveu O Cantar da Tila (poemas para a juventude, 1967), e O Passarinho de Maio (literatura infantil, 1990).

SUGESTÕES DE ATIVIDADES MUSICAIS

O professor apresenta o texto no quadro interativo ou escreve-o em outro quadro. Declama o poema com expressividade e apresenta a vida da autora. Desafia um ou mais voluntários para recitarem.

O poema pode ser acompanhado com percussão corporal com dois níveis, mãos nas pernas e palmas, por exemplo.  Na sua vez, as crianças podem sugerir outras formas de acompanhamento rítmico.

Podem fazer-se jogos com uma aranha que vai passando de mão em mão. Quando o poema termina, a criança que tem a aranha vai para o meio, e assim sucessivamente.

Estando as crianças à volta de uma mesa, o poema pode ser dito com a ponta dos dedos na beira da mesa e mãos nas pernas, ou mãos alternadas na mesa.

A criação de maracas eficazes e resistentes é muito fácil com tampas de amaciador de roupa. As crianças podem criar o seu próprio instrumento e acompanhar com estas maracas, projetando-as para a frente, em cima e em baixo.

António José Ferreira

Contacte-nos para adquirir os nossos recursos didáticos, organizar formação de professores ou publicar conteúdos originais na Meloteca.

Aranha

Aranha

0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *