Aranha

A ARANHA ARRANHA

A aranha arranha a rã?
A rã arranha a aranha?
Nem a aranha arranha a rã,
nem a rã arranha a aranha.

Não! A aranha não arranha!
Não! A rã também não arranha!

Trava-línguas é um jogo de palavras que consiste em dizer de forma clara e cada vez mais rápida frases com a repetição de sons difíceis ou iguais.

O trava-línguas trava a nossa língua e obriga-nos a dizer devagar no início, se quisermos evitar tropeços; destrava a língua na medida em que, com prática, nos permite dizer mais clara e rapidamente textos difíceis de dizer.

Os trava-línguas podem aparecer em prosa, verso ou frases e são uma forma de literatura popular. Aperfeiçoam a dicção e proporcionam jogos divertidos, porque é muito fácil tropeçar.

As propostas de expressão musical com estas formas literárias simples não abundam, mas são um desafio multidisciplinar enriquecedor.

SUGESTÕES PEDAGÓGICAS

1. O professor marca a pulsação com palmas, ou com um tambor, ou com pés alternados, num andamento confortável.
As crianças dizem todas um verso, depois dois versos, três, quatro e, finalmente, seis.

Quando o grupo for autónomo a dizer o trava-línguas, as crianças dizem sozinhas e o professor raspa um reco-reco enquanto diz o som “r”.

Quando as crianças conseguirem dizer o “trava-línguas” com facilidade, o professor propõe um jogo:

As crianças movem-se num espaço da sala, dizendo o trava-línguas. Com um tambor, o professor marca o compasso ou a pulsação, ou percute um ostinato. Quando o professor diz de surpresa “Arranhou!”, cada criança tenta “arranhar” o colega mais próximo no pescoço. O que foi “arranhado” perde o jogo. Logo que o professor recomeça a percussão, as crianças movem-se novamente, dizendo o trava-línguas. O jogo continua enquanto o professor achar que é conveniente, de modo a satisfazer os objetivos do jogo e o gosto das crianças, sem se tornar cansativo.

António José Ferreira

Por 2€ adquira na Loja Meloteca todos os trava-línguas.

Aranha

Aranha

0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *