Crianças com formação

CRIANÇAS COM FORMAÇÃO MUSICAL

“Enquanto muitas escolas estão a cortar nos programas de música e a gastar cada vez mais tempo em preparação para provas, os nossos resultados sugerem que a formação musical pode realmente ajudar a moldar as crianças para um futuro académico melhor. Crianças que tocam um instrumento apresentam níveis de atividade no córtex cerebral aumentados, indicando maior aptidão para multitarefas.”

Pesquisadores do Hospital Infantil de Boston trabalharam com imagem por ressonância magnética e descobriram que a formação musical precoce melhora as áreas do cérebro responsáveis pelo funcionamento executivo.

Também conhecido como controle cognitivo ou sistema atencional supervisor, o “funcionamento executivo” refere-se à gestão do cérebro, parecido com o termo corporativo correspondente.

No topo da hierarquia em termos de organização do cérebro, o funcionamento executivo permite o processamento e a retenção de informações, regula o comportamento e é responsável pela resolução de problemas e planeamento, entre outros processos cognitivos. Pode ser considerada uma peça-chave para se ter sucesso na vida.

No estudo, os pesquisadores consideraram que uma criança musicalmente treinada era alguém que tivera pelo menos dois anos de aulas particulares. Eles selecionaram 15 delas, com idades entre 9 e 12 anos, e as estatísticas do grupo corresponderam a treinos mais significativos do que aqueles que os pesquisadores estavam a procurar: as crianças tocavam por 5,2 anos e praticavam 3,7 horas por semana, começando na idade de 5,9 anos.

Os cientistas compararam-nos com um grupo de 12 crianças da mesma faixa etária sem formação musical. Em seguida, foram formados dois grupos de estrutura semelhante de adultos, embora o grupo musical consistisse unicamente em músicos profissionais ativos. Os testes cognitivos mostraram que músicos em ambas as faixas etárias tiveram uma posição de vantagem.

A ressonância magnética mostrou que as crianças apresentaram os níveis de atividade no córtex pré-frontal aumentados, indicando que elas podem ser mais aptas a multitarefas do que as não musicais. Os inúmeros benefícios cerebrais da formação musical são bem conhecidos e têm sido o tema central de muitos estudos académicos.

No ano passado, a Sociedade para Neurociência apresentou três estudos numa conferência anual. Todos eles concluem que as influências da formação musical não só determina as funções, como também a anatomia do cérebro.

O estudo de Boston, contudo, é um dos poucos a explorar o funcionamento executivo e adaptar os resultados ao nível socioeconómico, fator importante ao qual estudos anteriores não deram a devida atenção.

Já que o funcionamento executivo tem fortes condições para determinar o desempenho académico, mais até do que o QI, pensamos que as nossas descobertas possuem grandes implicações educacionais. Enquanto muitas escolas estão a cortar nos programas de música e a gastar cada vez mais tempo na preparação para provas, os nossos resultados sugerem que a formação musical pode realmente ajudar a moldar as crianças para um futuro académico melhor— afirma a pesquisadora Nadine Gaab.

Nadine diz que estudos futuros podem determinar se crianças e adultos que têm dificuldade com o funcionamento executivo – como crianças com Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) ou idosos – poderiam beneficiar da música como uma ferramenta de intervenção terapêutica.

Os pesquisadores observaram que um melhor funcionamento executivo é o verdadeiro aspecto do cérebro, motivando as crianças para continuar as suas aulas de música, sugerindo que a formação deve começar cedo na vida. O estudo foi publicado no PLOS ONE, jornal científico publicado pela Public Library of Science (PLOS).

[ http://www.psicologiasdobrasil.com.br/criancas-com-formacao-musical-possuem-melhor-gerenciamento-do-cerebro/#ixzz48Tn0FgN5 ]

12 de maio de 2016

0 comentários

Deixe o seu comentário

Dê a sua opinião
O seu contributo torna-nos melhores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *